Escolha uma Página
O que fazer em Punta Cana fora dos hotéis

O que fazer em Punta Cana fora dos hotéis

O que fazer em Punta Cana? Será que lá tem muita praia boa? É bacana para ir com crianças ou é mais para casais? É melhor ficar em um resort all inclusive ou pegar um hotel mais simples? Vou precisar de visto? O clima é bom o ano inteiro?

Essas foram algumas das dúvidas que tive quando estava planejando minha vigem de férias para Punta Cana, na República Dominicana. Queria um destino que tivesse aquele mar lindo do Caribe, onde eu pudesse descansar bastante, mas tivesse atrações que agradassem meus filhos também.

Entre os destinos mais visitados do Caribe, confesso não foi a primeira da lista. Mas foi só pesquisar um pouco mais que logo me convenci que Punta Cana é um lugar perfeito para uma viagem em família.

Além das praias de Punta Cana serem lindas, muitas delas com aquela areia branca e águas azul-turquesa, vi que também tinha muitos passeios legais para fazer, tanto para aproveitar com as crianças ou mesmo em casal. Sem contar que também é um dos destinos mais econômicos no Caribe (e isso é um ponto importantíssimo né?).

O que fazer em Punta Cana

O mar azul-turquesa de Punta Cana me conquistou na escolha do destino (Foto: Passaporte Digital)

Mas, afinal, o que fazer em Punta Cana fora dos hotéis? É fato que esse pedaço do Caribe é perfeito para relaxar e ficar de boa no resort. Mas o destino tem muito mais!

Punta Cana tem, no total, 48 quilômetros de costa, localizada bem ao leste da República Dominicana, na província de La Altagracia.

VEJA TAMBÉM: Vale a pena visitar Santo Domingo?

É em Punta Cana que o Oceano Atlântico encontra o mar do Caribe. Ao norte, fica a praia de Uvero Alto até o sul, com Cabeza de Toro e Cap Cana, com uma orla repleta de resorts e hotéis all inclusive (a maioria fica na famosa praia Bávaro e na praia Arena Gorda).

o que fazer em punta cana

Praia Bávaro é uma das mais procuradas em Punta Cana (Foto: Divulgação Meliá)

Outra vantagem é que lá o clima é bom o ano inteiro, com temperaturas médias entre 25 e 30 graus. No verão, que lá acontece entre maio e julho, é mais quente, porém com maior probabilidade de chuva.

Bom, com o destino definido, chegou a parte difícil: onde ficar. Conto minha saga em busca do resort perfeito aqui neste outro post.

Agora, vou falar sobre o que fazer em Punta Cana, dando detalhes dos passeios, das praias e ilhas que valem a pena conhecer e até de quanto custa para explorar melhor as delícias deste paraíso. Afinal, a viagem não precisa se resumir somente às atrações do resort (muito boas, diga-se de passagem).

Sei que quem fica em resorts all inclusive quer muita mordomia, com sombra, água fresca e comida boa, só curtindo a praia e a piscina. Mas se você é como eu, que não perde a oportunidade para conhecer ao máximo tudo o que o destino pode oferecer, vale a pena entender um pouco mais sobre as atrações de Punta Cana. Confira.

O que fazer em Punta Cana

 

ILHA SAONA

ilha saona

Ilha Saona é um dos passeios imperdíveis para quem vai a Punta Cana (Foto: Passaporte Digital)

A Ilha Saona é um daqueles passeios obrigatórios. Dizem que lá foram filmadas cenas do filme A Lagoa Azul e do Piratas do Caribe! O mar por lá é ainda mais bonito que na praia do hotel, talvez pela localização (mais para dentro do mar do Caribe, ao contrário das praias de Punta Cana que ficam mais próximas ao mar do Atlântico).

Não vou mentir pra vocês que o trajeto e a (des)organização do passeio é um tanto cansativo. Uma van pega você no hotel e te leva até o porto de Bayahibe, em um percurso de mais ou menos uma hora e meia. De lá, aguarda pacientemente uma lancha rápida (por mais 20 minutos) até chegar às piscinas naturais e, depois, à Ilha Saona.

Você fica na Ilha Saona por umas duas ou três horas, almoça lá, depois retorna de catamarã. Daí, o trajeto é mais demorado, porque é bem mais lento, umas duas horas mais ou menos. Mas tem bebida à vontade (refri, água e cerveja) e muita música.

Dá para agendar o passeio pelo próprio hotel, contratar aqui do Brasil mesmo em sites de viagem ou reservar com empresas de turismo locais, cujos vendedores abordam você na praia.

Conto tudo sobre a Ilha Saona, como é a praia, preço do passeio e perrengues do percurso neste outro post aqui. Corre lá e confere!

 

PRAIA JUANILLO

o que fazer em punta cana praia juanillo

Praia Juanillo também encanta pela cor da água e beleza natural (Foto: Scape Park)

É outro passeio que vale muito a pena fazer. Muitos turistas preferem Juanillo à Ilha Saona, principalmente por ser um pouco mais tranquila. Mas acho que é interessante conhecer os dois lugares (se tiver tempo e orçamento, claro!)

Localizada em uma área exclusiva de Cap Cana, a praia Juanillo é realmente paradisíaca, com areias branquinhas e águas bem transparentes.

O passeio dura praticamente o dia inteiro. A empresa responsável pelo tour pega o hóspede no hotel, faz um percurso de ônibus ou van e depois um catamarã, com paradas em piscinas naturais. Na praia, é servido almoço e também tem passeios de caiaque, remo e atividades como vôlei de praia.

Algumas empresas oferecem um pacote chamado Juanillo VIP, que recebe o turista na praia com drinks e, depois, serve lagosta e outras delícias.

✅O preço para o passeio à praia Juanillo é mais salgado que o da Ilha Saona: custa, em média, 155 dólares por pessoa.

o que fazer em punta cana praia juanillo

No pacote VIP você é recebido com drink na praia Juanillo (Foto: Scape Park)

 

MANATI PARK

O Manati Park é um parque para quem gosta de contato com a natureza. Tem muita área verde e contato com animais, como araras, flamingos e iguanas.

Localizado na região da praia Bávaro, oferece várias atrações, sendo a principal delas o nado com golfinhos, que dura 20 minutos (a partir de 1,20 de altura). Mas tem também shows temáticos, como as danças tradicionais do povo taino e apresentação com leões marinhos.

✅Preço entrada (inclui áreas do parque e shows): 35 dólares (adulto), 20 dólares (criança de 2 a 12 anos)
✅Preço para nadar com golfinhos: 125 dólares por pessoa (só é permitido para pessoas a partir de 1,20 metro de altura)

 

NADO COM GOLFINHOS

Além do Manati Park, existem inúmeras outras opções de locais para nadar com golfinhos. Eu não fui desta vez, mas já tive a experiência em Orlando, no Discovery Cove, e posso dizer que é algo inesquecível.

✅Em Punta Cana, lugares como o Dolphin Explorer ou o Dolphin Island oferecem este tipo de atração, a um custo médio de 130 dólares por pessoa. Geralmente, esses lugares também tem atrações para nadar com tubarões e arraias.

nado com golfinho punta cana

Nado com golfinhos é uma experiência marcante na viagem a Punta Cana (Foto: Dolphin Island)

 

BAVARO ADVENTURE PARK

O Bavaro Adventure Park é outro parque de diversões legal, principalmente para quem gosta de aventura ou para quem está com crianças. Isso porque tem mais de 15 atividades para todas as idades e gostos: tirolesa, escalada, paintball, jipe, segway, passeio a cavalo, simulador de voo e playground.

Para os pequenos, a área de dinossauros, com réplicas de 22 animais, costuma agradar bastante.

Funciona assim, você escolhe um combo com duas ou mais atividades.

✅Preço: a partir de 59 dólares (35 para crianças de 2 a 12 anos), dependendo do combo com as atividades escolhidas

 

SCAPE PARK

o que fazer em punta cana scape park

Uma das atrações do Scape Park, em Punta Cana (Foto: Divulgação)

O Scape Park At Cap Cana é um parque temático natural com muitas atrações legais. Se pudesse escolher somente um dos parques, escolheria este, justamente por esse contato com a natureza.

Localizado no coração do Cap Cana Resort, tem cavernas e cenotes (lagoas naturais) muito lindas, que merecem a visita!

O legal é que você pode montar seu roteiro escolhendo as atividades que deseja fazer. Tem tirolesa, cavernas subterrâneas, mergulho e clube de praia.

Entre as opções disponíveis no pacote Full Day, destaco o tour para Hoyo Azul, uma lagoa de águas límpidas dentro de uma caverna. Diferentemente das lagoas em cavernas que conheci em Santo Domingo, nesta você pode nadar e aproveitar mais.

hoyo azul scape park

Hoyo Azul é um lago que fica dentro de uma caverna: tem que conhecer (Foto: Divulgação)

Outra dica legal é que se você quer fazer o tour para a praia de Juanillo, sai mais em conta pegar o pacote com o passeio integrado do que fazer tudo separado.

✅Preço: a partir de 149 dólares (adulto) e 89 dólares (criança), dependendo do pacote escolhido

 

COCO BONGO

Se você gosta de balada, vai amar o Coco Bongo, que é bem diferente das danceterias daqui. A casa, tem filiais em Cancún e Playa del Carmen, mistura disco e shows performáticos muito bem produzidos, como por exemplo o tributo ao Michael Jackson, a apresentação dos Piratas do Caribe, entre outros muito legais que vão rolando durante a noite.

E se você quer aproveitar os shows e a música com mais conforto, a dica é comprar o camarote, onde você assiste tudo de um lugar mais privilegiado, com várias bebidas inclusas (open bar). A pista é mais barato, mas enche muuuuito.

Prepare-se porque a balada vai até de manhã.

✅Preço: a partir de 70 dólares por pessoa.

 

SANTO DOMINGO

A capital do país não pode ficar de fora. Localizada a 200 quilômetros de Punta Cana tem uma riqueza cultural muito legal de conhecer. Eu conto tudo como foi a minha visita a Santo Domingo neste outro post aqui.

santo domingo passaporte digital

Santo Domingo, capital da República Dominicana, é um passeio histórico e cultural (Foto: Passaporte Digital)

 

RESUMO: COMO FOI MINHA VIAGEM PARA PUNTA CANA

Para resumir um pouco de como foi minha viagem para Punta Cana, posso dizer que vale muito a pena. O lugar é realmente fantástico em termos de natureza, praias lindas e limpas, muito verde e resorts para relaxar com muito conforto e boa comida.

É um destino muito recomendando para quem vai em família ou casal. Lua de mel, então, é uma ótima pedida!

A minha dica é prestar bastante atenção na escolha do resort, pois é onde você vai passar boa parte do tempo. Leia comentários de outros viajantes, pesquise a praia onde está localizado o hotel, arredores e atrações. Não veja somente preço.

Outro detalhe, embora a maioria dos resorts seja all inclusive, ou seja, você não precisa pagar nada extra, como você viu neste post existem muitos passeios legais para fazer fora dos hotéis. Então, prepare-se porque as atrações são relativamente caras para nós, brasileiros, porque são cobradas em dólar. Planeje-se para fazer os passeios que desejar.

O que fazer em Punta Cana

No último dia, nos despedimos de Punta Cana com esse cenário (Foto: Passaporte Digital)

Outra coisa importante, não esqueça de fazer um seguro saúde para não ter que se preocupar com nenhum imprevisto durante sua estadia (e não é um serviço caro não). No meu caso, o próprio cartão de crédito que temos já concede esse benefício. Consulte seu banco ou operadora e veja se você também tem direito ao seguro viagem.

De resto, é só relaxar e aproveitar. O que fazer em Punta Cana? Você viu que opções legais não vão faltar!

Caso tenha alguma dúvida ou queira saber mais alguma dica, escreva para mim nos comentários! Aguardo você! Até nosso próximo check-in!


Alessandra Oggioni

Alessandra Oggioni

Jornalista, mãe e apaixonada por viagens. Seu passatempo preferido é desenhar roteiros e dar pitacos na viagem dos amigos. Depois de passar por mais de 12 países e mais de 30 cidades pelo mundo, criou o blog Passaporte Digital, para reunir dicas de viagem para os melhores destinos no Brasil e no exterior.

Santo Domingo, na República Dominicana, vale a pena conhecer?

Santo Domingo, na República Dominicana, vale a pena conhecer?

Visitar Santo Domingo, na República Dominicana, pode não ser uma prioridade para quem vai à famosa Punta Cana, mas é possível fazer um bate-volta para a capital do país.

Mas a pergunta que não quer calar é: vale a pena deixar as mordomias do resort all inclusive por um dia para mudar o roteiro e conhecer Santo Domingo? Fizemos o passeio durante nossa estadia em Punta Cana e vamos contar tudo como foi! 😉

Com muitos pontos turísticos interessantes para conhecer, Santo Domingo é uma verdadeira aula de história. Por isso, para a visita ser realmente proveitosa o ponto principal é gostar de cultura.

santo domingo republica dominicana - plaza de espana

Plaza de España e Alcazar de Colón ao fundo, parte da riqueza histórica de Santo Domingo, República Dominicana (Foto: Passaporte Digital)

Digo isso porque boa parte da visita envolve a zona colonial de Santo Domingo, que é o centro histórico deles. Você vai conhecer a primeira igreja das Américas, o local onde está as cinzas do navegador Cristóvão Colombo e onde a família Colombo viveu na cidade.

Mas não é só cultura, não. A natureza também tem vez. Para dizer a verdade, na minha opinião, conhecer o Parque Nacional Tres Ojos, com suas cavernas impressionantes, foi o ponto alto do passeio a Santo Domingo.

santo domingo - parque 3ojos

Parque Nacional Los Tres Ojos e suas cavernas impressionantes (Foto: Passaporte Digital)

Vou dar todos os detalhes dos pontos turísticos que visitei e, ao final do post, você vai ver a conclusão que eu cheguei para dizer se vale a pena ou não conhecer Santo Domingo, na República Dominicana.

Confira.

O que fazer em Santo Domingo, na República Dominicana

Se o mar do Caribe é a atração principal em Punta Cana, em Santo Domingo, a capital da República Dominicana, atrai turistas especialmente pelo seu centro histórico.

Fundada por Bartolomé Colón, em 1496, Santo Domingo foi a primeira cidade levantada pelos espanhóis no continente americano.

santo domingo republica dominicana - calle el conde

Calle El Conde, uma das principais ruas da zona colonial de Santo Domingo (Foto: Passaporte Digital)

Com alguns pontos bem conservados e outros restaurados, você vai ver na zona colonial edifícios nos anos 1.500, como o Alcázar de Colón, o Faro a Colón, a Catedral Primada, a Fortaleza Ozama, entre muitos outros locais nas redondezas das ruas del Conde, de Las Damas e de Las Mercedes.

Tanta riqueza histórica fez a Unesco declarar, em 1990, Santo Domingo como patrimônio da humanidade.

Dito isso, vamos aos pontos que visitei na cidade.

PARQUE NACIONAL LOS TRES OJOS

A primeira parada da excursão que fizemos de Punta Cana a Santo Domingo foi no Parque Nacional Los Tres Ojos. Particularmente, foi o que mais gostei durante a visita.

O parque abriga uma caverna com quatro lagos de água doce em tom azul claro, bem límpida. Apesar dos acessos facilitados, no total são 1.059 degraus de descida (e depois subida) para conhecer os lagos: Azufre, La Nevera e Las Damas. Há ainda um quarto lago que pode ser visto depois de atravessar um dos lagos em uma pequena barcaça de madeira puxada manualmente (custa US$ 1 para atravessar).

Formada por corais, o local já foi mar um dia (pelo menos foi o que disse o guia).

Infelizmente, não é permitido nadar no local, justamente para preservar a cor da água e a beleza dos lagos. Somente um homem, conhecido como “spider man”, é autorizado pelo parque para fazer um “show”. Ele escala as pedras e dá um mergulho de ponta a uma altura de mais ou menos 5 metros, para entreter os turistas e ganhar umas gorjetas.

Onde fica: Avenida Las Americas, Santo Domingo
Horário de visitação: diariamente, das 8h30 às 17h30
Entrada: 200 pesos dominicanos (cerca de 4 dólares)

CATEDRAL DE SANTO DOMINGO

Depois da visita ao Parque Nacional Los Tres Ojos, a parada seguinte é na Catedral de Santo Domingo, oficialmente chamada de Catedral de Santa María la Menor e também conhecida como Catedral Primada, por ser a primeira basílica do “Novo Mundo”, ou seja, das Américas.

Por fora, achei bonita e tal, mas não teve nada muito chamativo.

Por dentro, eu achei mais bacana. São 14 capelas dentro da catedral, cada uma dedicada a uma santidade. Construída entre 1521 e 1541, abriga os restos mortais de generais, soldados, bispos e até do primeiro presidente da República Dominicana.

Outra coisa que gostei na visita é que você tem áudio guide em vários idiomas, inclusive português, que explica as principais obras dentro da igreja. Assim, você fica sabendo de todos os detalhes. Os restos mortais de Cristóvão Colombo foram encontrados aqui no século XIX (e depois levados para o Faron de Colon).

Onde fica: Calle Isabel La Católica, Santo Domingo
Horário de visitação turística: de segunda a sábado, das 9h às 16h
Preço: gratuito

Interior da Catedral de Santo Domingo, com 14 capelas dedicadas a santos (Foto: Passaporte Digital)

PARQUE COLÓN

O Parque Colón, dedicado a Cristóvão Colombo, é a praça que fica em frente à Catedral de Santo Domingo. Cercada de alguns restaurantes e cafés, é uma praça comum, bem similar às que encontramos em diversas cidades do Brasil.

É de lá que sai o trenzinho, chamado de ChuChu Colonial, que faz um tour pelas ruas e pontos turísticos da zona colonial.

CALLE EL CONDE

A primeira rua comercial do Novo Mundo, a famosa Calle El Conde continua sendo a área comercial mais popular para pedestres em Santo Domingo.

Restaurante do Hotel Saint Nicolas, nas proximidades da Calle El Conde, zona colonial (Foto: Passaporte Digital)

A área ao ar livre estende-se por 10 quarteirões, com restaurantes, cafeterias, lojas de lembranças e artistas de rua. Comemos por ali, no Hotel e Restaurante Saint Nicolas (Calle Arzobispo Meriño, 266). Comida simples, bem cara de Brasil, com arroz, feijão preto, frango e até uma “farofa”.

 

PANTEÓN DE LA PATRIA

Outro ponto interessante da cidade colonial é o Panteón de La Patria. Antiga igreja jesuíta do século 18, o lugar virou mausoléu nacional em 1956 e abriga os restos de heróis dominicanos como Gregorio Luperón, Salomé Ureña e María Trinidad Sánchez.

Gostei bastante do interior do Panteón, onde eles mantém sempre uma chama acesa 24 horas em homenagem aos mortos, sempre vigiada por guardas uniformizados.

santo domingo republica dominicana panteon

Panteon de La Pátria, mausoléu com os restos mortais de heróis do país (Foto: Passaporte Digital)

Onde fica: Calle Las Damas, Santo Domingo
Horário de visitação turística: de terça a domingo, das 9h às 17h
Preço: gratuito

 

MUSEO DE LAS CASAS REALES

santo domingo republica dominicana - casa reale

O Museu de Las Casas Reales foi uma espécie de tribunal de justiça da época (Foto: Passaporte Digital)

O Museu de Las Casas Reales foi usado como Corte Real do governador espanhol no século 16. Era uma espécie de tribunal de justiça da época. Acho que vale a visita ao interior só para quem quer se aprofundar mesmo na história da República Dominicana.

Onde fica: Calle Las Damas e/ Mercedes, Santo Domingo
Horário de visitação: diariamente, das 9h às 17h
Preço: 50 pesos dominicanos

 

FORTALEZA OZAMA

santo domingo republica dominicana - fortaleza ozama

As crianças adoraram ver de perto o canhão da Fortaleza Ozama (Foto: Passaporte Digital)

Construída pelos espanhóis no início do século XVI, em frente a desembocadura do rio Ozama, a Fortaleza Ozama é considerada a primeira estrutura militar permanente nas Américas, marcando o início da colonização espanhola. O objetivo era proteger a cidade de invasões de estrangeiros e de piratas.

Onde fica: Calle Las Damas, Santo Domingo
Preço: gratuito

 

PLAZA DE ESPAÑA

santo domingo republica dominicana - plaza espana

Ampla e aberta, é na Plaza de España que acontecem shows e eventos na cidade (Foto: Passaporte Digital)

Sim, Santo Domingo também tem a sua Plaza de España. Não é tão pomposa quanto a Piazza di Spagna em Roma, mas é bonita. Ampla e aberta, é na Plaza de España que acontecem shows e eventos na cidade e onde as pessoas se encontram, andam de bike, brincam com as crianças.
No centro da praça está a estátua do fundador da cidade, Nicolás de Ovando. No entorno, há bistrôs e restaurantes charmosinhos e o palácio Alcázar de Colón, onde hoje funciona um museu.
Aproveite para ver a vista do rio Ozama e os navios enormes que atracam ali no porto bem em frente.

 

ALCÁZAR DE COLÓN

santo domingo - alcazar de colon - Reinhard Link

Alcazár de Colón já foi residência da família de Cristóvão Colombo (Foto: Reinhard Link)

Concluído por volta de 1512, o Alcázar de Colón foi o palácio onde viveu Diego Colombo, filho de Cristóvão Colombo, e sua esposa María de Toledo, sobrinha do rei Fernando da Espanha.
Hoje, a construção de estilo gótico e renascentista funciona como um museu que abriga peças que dizem ter pertencido à família Colombo.
Achei curioso o fato de o palácio ter 55 quartos e 72 portas e janelas. De sua arquitetura destaca-se o fato de que eles não usaram um único prego para construir as diferentes salas do palácio. Bem interessante!

Onde fica: Plaza de España, Santo Domingo
Horário de visitação turística: de terça a domingo, das 9h às 17h
Preço: 100 pesos dominicanos

FARO A COLÓN

santo domingo republica dominicana - farol de colon

Durante visita ao Farol de Colón, em Santo Domingo, na República Dominicana

Construído em forma de cruz, o Farol de Colombo fica na área leste de Santo Domingo. Relativamente novo, o edifício foi finalizado em 1992 para celebrar os 500 anos da Descoberta e Evangelização da América.
Em algumas noites, as luzes do farol iluminam o céu desenhando uma grande cruz que pode ser vista a vários quilômetros de distância.
Na entrada principal, bandeiras de diferentes nações simbolizam a fraternidade. No interior, diferentes salas abrigam exposições permanentes e temporárias de objetos e artes de diversos países, além da atração principal do monumento, o mausoléu e a capela de Cristóvão Colombo.
Dizem que os restos mortais de Cristóvão Colombo estão guardados neste local, embora os espanhóis garantam que estão em Sevilha.
Onde fica: Santo Domingo Este
Horário de visitação turística: diariamente, das 9h às 17h
Preço: 30 pesos dominicanos

 

E aí? Vale a pena visitar Santo Domingo?

santo domingo - passaporte digital

Caminhando pelas ruas do centro histórico de Santo Domingo (Foto: Passaporte Digital)

Caminhando pelas ruas do centro histórico de Santo Domingo (Foto: Passaporte Digital)
A República Dominicana é um país muito rico em história e em belezas naturais. Ainda há lugares sensacionais tanto na capital como nos arredores, como Boca Chica, por exemplo, que valem a pena conhecer.
Embora a capital Santo Domingo nem sempre esteja no roteiro de quem vai a Punta Cana, acho que sempre é interessante conhecer novos lugares. Por isso, eu recomendo se realmente gostar de turismo histórico e cultural!

Quanto custa o passeio de Punta Cana a Santo Domingo

Se estiver em Punta Cana, o passeio feito pelos hotéis e empresas de turismo locais  é um tanto desorganizado. Eles vão parando de hotel em hotel, pegando e deixando turistas, por isso o trajeto fica ainda mais longo e cansativo.

Demoramos cerca de 3 horas e meia horas de Punta Cana a Santo Domingo e mais 4 horas para retornar ao hotel (deixando todos os passageiros, fomos praticamente os últimos). Estávamos com duas crianças, que até aguentaram bem, mas chegaram acabadas!

A excursão de Punta Cana a Santo Domingo custa US$ 65 por adulto, US$ 35 por criança (de 6 a 12 anos), com almoço, transporte e entrada do parque Tres Ojos inclusos. Compramos o passeio de representantes que nos abordaram na praia. No hotel, os valores praticamente dobram.

VEJA TAMBÉM: Atrações culturais na Cidade do México

 


Alessandra Oggioni

Alessandra Oggioni

Jornalista, mãe e apaixonada por viagens. Seu passatempo preferido é desenhar roteiros e dar pitacos na viagem dos amigos. Depois de passar por mais de 12 países e mais de 30 cidades pelo mundo, criou o blog Passaporte Digital, para reunir dicas de viagem para os melhores destinos no Brasil e no exterior.


Porto e Lisboa em três dias: 6 passeios imperdíveis

Porto e Lisboa em três dias: 6 passeios imperdíveis

Quem faz uma Eurotrip, geralmente têm pouco tempo em cada país. Pensando neste viajante, selecionei seis cantinhos especiais em Porto e Lisboa para fazer em 3 dias. São passeios que não podem faltar no roteiro de primeira viagem e trago aqui todas as dicas para aproveitar melhor a sua estada em Portugal.

Aliás, pelo segundo ano consecutivo, o país foi eleito o melhor destino do mundo, de acordo com o World Travel Awards 2018, considerado o Oscar do Turismo.

O local de onde saíram os descobridores e colonizadores do Brasil é belíssimo, cheio de história e muita cultura. A cada esquina, uma construção ou monumento exibe uma riqueza para ser admirada e explorada. Por isso, o ideal não é ficar só dois dias, claro. Mas se este é o tempo que você tem, vamos aproveitar da melhor maneira possível.

Durante minha breve passagem por Portugal, conheci Porto e Lisboa. Vi muita coisa bacana, mas vou destacar aqui três pontos turísticos de cada cidade para você anotar no caderninho e visitar quando atravessar o oceano e pousar em terras portuguesas.

Porto e Lisboa: fique com os dois!

 

LISBOA

A capital de Portugal apresenta uma série de prédios modernos e lojas de grandes marcas, mas o que chama mesmo a atenção é a parte histórica. É ela que instiga as pessoas a conhecerem o Velho Mundo.

1- Torre de Belém

Torre de Belém

Torre de Belém tem que visitar em Lisboa (Foto: Juliana Falcão/Passaporte Digital)

A construção é belíssima, foi concluída em 1520, e o cenário se torna ainda mais belo porque a torre fica às margens do rio Tejo. É um dos maiores pontos turísticos de Lisboa. Fique de olho nos horários e valores de ingressos, pois é possível entrar e conhecer tudo lá dentro!

Onde fica: Avenida Brasília, 1400-038, Lisboa
Horário de funcionamento: de terça a domingo, das 10h às 17h30
Entrada: 6€ ou 12€ no bilhete conjugado com o Mosteiro dos Jerónimos (grátis aos domingos e feriados até às 14h)

LEIA TAMBÉM: Guia de compras em Lisboa

2- Castelo São Jorge

lisboa castelo sao jorge

O Castelo de São Jorge fica na zona nobre da antiga cidadela medieval em Lisboa (Foto: Paola Farrera)

A cidade dos castelos é Sintra, mas Lisboa também possui um castelo que vale a pena conhecer – apesar do esforço para subir todas as escadas e alcançar todas as torres e corredores. A visão que o alto de Castelo São Jorge oferece do centro histórico é linda. Para chegar lá, uma opção interessante é pegar o Elevador do Castelo. A pé é bem cansativo por conta das ladeiras.

Onde fica: Rua de Santa Cruz, Lisboa
Horário de funcionamento: diariamente, das 9h às 18h (de março a outubro, até às 21h)
Entrada: 8,50€ (grátis para crianças de até 10 anos, desconto para estudantes até 25 anos e maiores de 65 anos)

 

3- Cascais

cascais

Cascais, uma vila portuguesa parte do distrito de Lisboa, é um passeio delicioso (Foto: Viv Lynch)

Cascais, uma vila portuguesa, parte do distrito e área metropolitana de Lisboa, que você precisa conhecer. Se você estiver a pé, basta pegar o comboio e chegar a esta vila acolhedora e lindíssima.

O local oferece um clima bem ameno, com praias e muitos espaços para visitar e caminhar. Os barcos atracados e as gaivotas revoando no meio da tarde rendem boas fotos e uma sensação de paz que poucas palavras explicam.

Por ser uma cidade turística, é possível achar muitas lojas com suvenires, bancos de praça para sentar e contemplar as paisagens, muitos jardins e um sorvete maravilhoso, vendido na Santini (Av. Valbom, 28 F), uma sorveteria que possui mais de seis décadas. Vale lembrar que há unidades também em Belém e Porto.

 

Outras dicas de Lisboa

Eu disse que eram apenas três pontos turísticos, mas eu preciso lembrar você de visitar o Jardim Afonso de Albuquerque, o imponente Padrão dos Descobrimentos, o Museu Nacional dos Coches, o Mosteiro dos Jerônimos, a Praça Marquês de Pombal, a Praça do Comércio e o Parque Eduardo VII. Ah, e não deixe de comer o tradicional pastel de Belém. Se ele estiver saindo do forno, melhor ainda! Tem que ser em Belém mesmo, porque lá a receita é original e secreta. Nos demais bairros a iguaria é chamada de pastel de nata.

CONFIRA O ROTEIRO COMPLETO DE LISBOA AQUI

 

PORTO

porto

Porto fica a três horas de Lisboa (Foto: Trevor Huxham)

A cidade de Porto fica a mais ou menos três horas de Lisboa de carro e é imperdível por conta de suas construções antigas e cheias de histórias. Uma boa caminhada a pé faz você conhecer uma série de locais e registrar cada cantinho.

Se estiver corrido, destaco três atrações em Porto que gostei muito de conhecer.

4- Estação São Bento

São Bento é um dos principais pontos turísticos de Porto e você não pode sair de lá sem visitá-lo. Considerada uma das estações mais lindas do mundo, possui o átrio coberto de azulejos, uma visão enriquecedora para os olhos. De lá partem trens para diferentes pontos da cidade.

Não se esqueça de olhar os detalhes da Estação São Bento (Foto: Juliana Falcão/Passaporte Digital)

5- Livraria Lello

 

livraria lello

Vá cedo à Livraria Lello para não pegar fila (Foto: Michal Huniewicz)

 

Para quem é fã de livros e do bruxinho Harry Potter precisa ir até o centro histórico de Porto conhecer a Livraria Lello. A fila para entrar costuma ser grande, mas vale a pena o esforço. Além de prateleiras altíssimas e de uma arquitetura de tirar o fôlego, a livraria lembra o local onde Harry Potter compra seus livros, chamado Floreios e Borrões.

Onde fica:Rua das Carmelitas, 144, Porto
Horário de funcionamento: diariamente, das 9h30 às 19h

6- Parque de Serralves

parque serralves

Parque Serralves, em Porto, é delicioso para uma caminhada (Foto: Pedro Dias)

O Parque de Serralves abriga a Fundação Serralves e o Museu de Arte Contemporânea. Para quem gosta de exposições, é um prato cheio. Mas o ponto alto mesmo é o parque, uma das coisas mais belas que meus olhos já viram. A diversidade de árvores é encantadora e soma mais de 230 espécies.

Quando você achar que já viu tudo, caminhe mais um pouco. Certamente vai encontrar uma nova flor ou uma nova área verde para se deslumbrar.

Mais dicas de Porto

É claro que aqui também eu não poderia parar em apenas três locais… Então, aproveite para conhecer as belas construções da Avenida dos Aliados (entre elas a Câmara Municipal), o Mercado do Bolhão, a Casa da Música, a Praça Mousinho de Albuquerque, a Praça Marquês de Pombal, a Igreja Nossa Senhora da Conceição, a Ponte Dom Luis e a Gaia, onde fica o famoso El Corte Inglés, o ponto de encontro das melhores marcas do mundo.

Câmara Municipal

A bela Câmara Municipal de Porto (Foto: Juliana Falcão/Passaporte Digital)

Ah, e se puder, prove a Francesinha, uma iguaria famosa em Portugal, principalmente em Porto. É uma espécie de sanduíche composto por duas fatias grossas de pão recheadas com bife, uma espécie de presunto, linguiça e queijo. Também é coberto com queijo, muito molho e pode vir com um ovo frito em cima.

Se você vai partir daqui mesmo do Brasil, poderá pousar tanto em Porto quanto em Lisboa. Tudo depende do roteiro. A partir de julho de 2019, a companhia aérea Azul vai passar a oferecer voos diretos para Porto. Antes era apenas Lisboa.

Dizem que as passagens possuem um preço acessível durante o outono, mais precisamente entre setembro e novembro. Mas essa decisão depende também de quais lugares você deseja visitar. Se sua intenção é conhecer as praias portuguesas, o jeito é viajar para lá no alto verão.

Espero que você possa visitar Portugal e ficar encantada como eu e voltar de lá com uma mala cheia de ótimas histórias!

VEJA MAIS: PRAIAS DE PORTUGAL


Juliana Falcão

Juliana Falcão

Jornalista que ama viajar, seja sozinha, seja com a família e amigos. Apesar de gostar de programar com calma suas viagens, essa pisciana volta e meia se joga de cabeça em passeios que surgem de última hora. Também curte karaokês, cinema (se for para assistir super-heróis, melhor ainda!) e de forrar o estômago com uma boa comida.


8 passeios imperdíveis em Nova York com crianças

8 passeios imperdíveis em Nova York com crianças

O que fazer em Nova York com crianças? Esta foi a pergunta de uma amiga pra mim alguns dias de viajar com o marido e a filha de 7 anos para a Big Apple!

Eu amo Nova York e já dei algumas dicas legais de passeio neste post aqui, mas agora o roteiro tem que agradar também (e principalmente) as crianças. E, para dizer a verdade, não faltam atrações bacanas para os pequenos por lá.

Há quem pense que Nova York com crianças seja uma roubada, mas eu penso totalmente diferente. Embora não seja uma Orlando com os encantos da Disney, a cidade agrada pais e filhos com atrações culturais, shows, entretenimento, passeios ao ar livre, zoológico, enfim, tudo o que os pequenos gostam em um só lugar.

Mas antes de falar das atrações de Nova York com crianças, preciso dar uma dica importante: não programe muitos passeios para o mesmo dia! Não dá para impor o ritmo de viagem de um adulto para os filhos, senão corre-se o risco de todos ficarem estressados.

Se estiverem cansados, dê uma pausa, volte para o hotel, descanse e continue no dia seguinte.

Se estiverem com fome, leve sempre alguma frutinha ou guloseima para enganar o estômago. E aproveite Nova York com crianças e tudo o que se tem direito! Vamos às dicas!

Passeios em Nova York com crianças

1- Museu de História Natural

IDADE RECOMENDADA: todas

Nova York com crianças Museu Historia Natural

O Museu de História Natural de Nova York, tem ossos de dinossauros e bichos empalhados que parecem reais (Foto: Corn Farmer)

Com tantos museus, é difícil escolher em qual ir primeiro, mas um que tem que entrar na lista de imperdíveis é, sem dúvida, o Museu de História Natural de Nova York, ou American Museum of Natural History (sim, é aquele do filme)! Os bichos empalhados parecem reais, tudo é muito divertido e curioso.

Se estiver em Nova York com crianças (ou mesmo sem elas), vale muito a pena visitar, especialmente se você se interessa pela história da evolução das espécies.

A parte que mostra os bichos marítimos, com uma baleia gigante, é realmente imperdível. Tem também fósseis de dinossauros e muito mais!

Reserve no mínimo uma tarde inteira para conhecer o museu. Se quiser ir mais a fundo, dá para passar o dia inteirinho por lá.

Onde fica: Central Park West & 79th St
Horário de funcionamento:
diariamente, das 10h às 17h45
Preço:
US$ 23 (adulto), US$ 13 (criança de 2 a 12 anos), US$ 18 (estudante e idoso)

 

2- Central Park

IDADE RECOMENDADA: todas

Nova York com crianças Central Park

Nova York com crianças tem que ter parque! O Central Park é o mais legal (Foto: Ep-Jhu)

Nova York com crianças tem que ter parque. E nada melhor do que o maior e mais incrível da cidade: o Central Park. Na verdade, eu precisaria de um post exclusivo para falar tudo que tem de legal lá. O Central Park é imenso! São mais de 3 quilômetros de pura diversão: dá para andar de bike alugada, andar de charrete, fazer um piquenique ou andar sem rumo mesmo.

Entre os pontos que considero mais legais para ir com crianças, especialmente as menores, é o carrossel antigo, de 1871. Ele fica perto da 64th Street. E é simplesmente encantador.

Em seguida, indico o zoológico, aquele que aparece no filme Madagascar. As crianças vão amar!

Nova York com crianças zoo

O zoológico do Central Park é demais para as crianças. Tem que ir (Foto: Meghan Hess)

Lá tem leopardo, leão marinho, pinguins, morcegos, macacos, pássaros, enfim, uma delícia! Para ficar mais fácil localizar o zoo dentro do parque, ele está entre as ruas 63rd e 66th. Funciona diariamente, das 10h às 17h. Preço: US$ 19,95 (adulto) e US$ 14,95 (criança de 3 a 12 anos).

Também não posso deixar de mencionar o passeio de charrete (240 Central Park South, em frente ao FedEx), embora seja um pouco caro, na minha opinião. Uma corrida de 30 minutos custa US$ 110 (para até cinco pessoas, sendo dois adultos e até três crianças). Recomenda-se reservar com antecedência aqui.

Também dá para passear de barco no lago, alugar uma bicicleta ou patinar no gelo (se estiver no inverno). Enfim, minha dica aqui é ir andando pelo Central Park e ir descobrindo a atração que mais agrada suas crianças.

LEIA TAMBÉM: DICAS PARA ECONOMIZAR EM NOVA YORK

 

3- Estátua da Liberdade

IDADE RECOMENDADA: a partir dos 4 anos

estátua da liberdade

Dá até para conhecer a Estátua da Liberdade de graça (Foto: Photorack)

Símbolo de Nova York, conhecer a Estátua da Liberdade é uma obrigação turística! As crianças, especialmente as maiores que já estudaram sobre o monumento na escola, ficam encantadas!

Infelizmente, desde o 11 de Setembro não dá mais para subir em sua coroa, mas dá para vê-la pelos pés! O ingresso incluindo a balsa e a parada até o monumento custa a partir de US$ 25. Mas se você quiser somente observá-la, tem uma balsa gratuita que leva até a Staten Island. Dela, dá para tirar fotos bem legais, sem ter que desembolsar nem um dólar.

LEIA TAMBÉM: O que fazer no verão de Nova York

 

4- Peça da Broadway

IDADE RECOMENDADA: a partir dos 4 anos

Ir a Times Square (de dia e à noite) é essencial para sentir o espírito nova-iorquino pulsar dentro da gente. E é no seu entorno que está também o distrito de shows da Big Apple.

Assistir a um musical da Broadway é um programaço em Nova York com crianças, mesmo que vocês não falem inglês. Entre os diversos espetáculos em cartaz, recomendo os tradicionais “O Fantasma da Ópera” e “O Rei Leão”. Só de ver a magia do show já vale muito!

Ah, como os ingressos são um pouco salgados, uma dica de ouro aqui é comprar nos quiosques da TKTs, com descontos de até 70%. Mas atenção, são vendidas entradas somente para o mesmo dia, mas vale a pena pela economia. Tem um quiosque bem estratégico localizado na Times Square.

LEIA MAIS: Guia de compras em Miami


5- Empire State Building

IDADE RECOMENDADA: a partir dos 6 anos

 

empire state

Empire State oferece uma vista maravilhosa de Nova York (Foto: Pixabay)

Embora seja um passeio típico dos adultos, o Empire State Building tem que estar no roteiro com as crianças.

Construído em 1931, o prédio ainda figura entre os principais pontos turísticos de Nova York. Sugiro visitar o Empire State Building (25 West 29th Street) ao entardecer, assim você tem a vista da cidade de dia e à noite. Tem duas opções: subir até o 86º andar (US$ 29) ou ao topo, no 102º andar (US$ 46).

O visual lá de cima é incrível!

VEJA TAMBÉM: HOTEL BARATO EM NOVA YORK

 

6- Museu das Crianças de Manhattan

IDADE RECOMENDADA: de 0 a 12 anos

Este foi um achado durante a minha visita a Nova com crianças! O Museu das Crianças de Manhattan não é tão famoso como o de História Natural, mas eu indico de olhos fechados. O espaço é supercultural e quase um refúgio para aquela pausa na agitação, inclusive muito visitado pelos moradores locais.

O Children’s Museum of Manhattan é uma atração fantástica para quem viaja a Nova York com crianças, além de ser muito educativo. Superinterativo, o museu tem exposições para todas as idades, inclusive para bebês.

Uma das atrações que mais me chamou a atenção foi a exposição sobre o mundo muçulmano. Tem um cenário, objetos e até um mercado onde as crianças podem brincar de comprar, vender e comercializar frutas, peixes, especiarias, cerâmica e tapetes. E até aprendem a escrever o nome em 21 idiomas.

Ah, e nem se preocupe com a questão do idioma. As crianças se entendem muito bem umas com as outras, em qualquer língua!

Onde fica: 212 West 83rd Street
Horário de funcionamento: de terça a sexta e aos domingos, das 10h às 17h, e aos sábados, das 10h às 19h. 
Preço:
US$ 14 (adulto) e grátis para crianças até 12 anos. Primeira sexta-feira do mês é grátis para o horário das 17 às 20h

VEJA MAIS: CITY TOURS GRATUITOS EM NOVA YORK

 

7- New York Aquarium

IDADE RECOMENDADA: todas as idades

Nova York com crianças - aquario

O Aquário de Nova York hipnotiza crianças de todas as idades (foto: Kimberly Coleman)

A atração não fica exatamente em Manhattan, mas vale a pena o passeio até o Brooklin. Tubarões, raias, tartarugas, leões-marinhos, enfim, tem de tudo no Aquário de Nova York. Sem contar os shows interativos. É muito legal e divertido, dá também para ver a alimentação dos animais.

Onde fica: Surf Avenue & West 8th Street, Brooklin
Horário de funcionamento:
diariamente, das 10h às 16h30
Preço:
US$ 29,95 (adulto), US$ 24,95 (criança de 3 a 12 anos) e US$ 26,95 (a partir de 65 anos)

 

8- Ripley´s Believe It or Not

IDADE RECOMENDADA: a partir dos 4 anos

Ripley’s Believe It or Not! em Nova York é um museu que traz muitas curiosidades sobre o nosso mundo de maneira bem interativa. Embora tenha em outras cidades, este é o maior da rede nos Estados Unidos.

Onde fica: 234 West 42nd Street
Horário de funcionamento:
diariamente, das 10h às 23h
Preço:
US$ 25,60 (adulto), US$ 19,20 (criança de 4 a 12 anos) – compra pela internet

 

VEJA MAIS:
ROTEIRO PRÁTICO DE NOVA YORK – LEIA AQUI

 


Alessandra Oggioni

Alessandra Oggioni

Jornalista, mãe e apaixonada por viagens. Seu passatempo preferido é desenhar roteiros e dar pitacos na viagem dos amigos. Depois de passar por mais de 12 países e mais de 30 cidades pelo mundo, criou o blog Passaporte Digital, para reunir dicas de viagem para os melhores destinos no Brasil e no exterior.


Que tal nadar com tubarões no Discovery Cove, em Orlando?

Que tal nadar com tubarões no Discovery Cove, em Orlando?

Quase todo mundo tem o sonho de nadar com golfinhos, não é mesmo? Agora, se você tiver um pouco mais de coragem, que tal aprofundar a experiência e mergulhar com tubarões? Pois essa é a novidade do parque Discovery Cove em Orlando.

A experiência de nado com tubarões que está disponível no Discovery Cove em Orlando coloca os visitantes cara a cara com cinco espécies dos predadores, mas não se preocupe: é seguro – pelo menos é o que eles garantem!

A sessão é dividida em duas partes e começa quando os visitantes se encontram com a equipe de instrutores e entram na água. Nesse momento, os monitores ensinam sobre a anatomia dos tubarões e as ameaças que os bichos enfrentam na natureza. Na sequência, todos são convidados a juntarem-se aos tubarões na parte mais profunda do habitat e embarcarem em uma incrível experiência de mergulho.

LEIA MAIS SOBRE O PARQUE DISCOVERY COVE AQUI

Segundo os administradores do Discovery Cove em Orlando, a ideia é educar sobre os mitos dos tubarões e inspirar os visitantes a aprenderem mais sobre a espécie. Como um dos principais predadores, os tubarões têm um papel essencial na manutenção do equilíbrio dos ecossistemas do oceano em todo o mundo, controlando as populações de peixes. Infelizmente, muitas espécies são ameaçadas pela pesca excessiva e caçadas pela sua barbatana, atividades responsáveis pelo desequilíbrio na natureza.

discovery cove orlando tubarao

A experiência de nadar com tubarões custa US$ 85 no Discovery Cove, em Orlando (Foto: Divulgação)

VEJA TAMBÉM: Volcano Bay, o novo parque da Universal, em Orlando

A experiência de nadar com tubarões está disponível no Discovery Cove em Orlando para os visitantes a partir de 10 anos. O custo é de US$ 85 por pessoa. Por cada pacote comprado, o SeaWorld doará 5% da receita ao Guy Harvey Ocean Foundation (GHOF) para apoiar a conservação e pesquisa de tubarões.

Além da experiência de nadar com tubarões, o Discovery Cove em Orlando lançou ainda outra experiência para alimentar arraias, uma oportunidade única que acontece em uma visita muito especial ao The Grand Reef. Guiada por uma equipe do aquário do parque, os visitantes de mais de 6 anos de idade poderão interagir e aprender tudo sobre as espécies de arraias, enquanto alimentam estas criaturas incríveis.

discovery cove orlando arraias

Além de nadar com tubarões, visitantes podem alimentar arraias (Foto: Divulgação)

 

Preços Discovery Cove Orlando

Preço: ingressos a partir de US$ 169 (com refeição inclusa)
Atração para nadar com tubarões: US$ 85 por pessoa
Atração para alimentar arraias: US$ 50 por pessoa
Localização: 6000 Discovery Cove Way Orlando, FL 32821
Horário de funcionamento: diariamente, das 9h às 17h

O número diário de visitantes no parque é controlado. Por isso, é necessário comprar o ingresso com antecedência.

VEJA TAMBÉM: Outlets de Orlando


Alessandra Oggioni

Alessandra Oggioni

Jornalista, mãe e apaixonada por viagens. Seu passatempo preferido é desenhar roteiros e dar pitacos na viagem dos amigos. Depois de passar por mais de 12 países e mais de 30 cidades pelo mundo, criou o blog Passaporte Digital, para reunir dicas de viagem para os melhores destinos no Brasil e no exterior.


O que fazer em Santiago: Roteiro de 4 dias na capital do Chile

O que fazer em Santiago: Roteiro de 4 dias na capital do Chile

Emoldurada pela Cordilheira dos Andes, Santiago, no Chile, é organizada, simpática, culturalmente rica e foi isso que nos atraiu a fazer uma visita por lá e escrever este artigo artigo para ajudar você sobre o que fazer em Santiago usando este roteiro completo de 4 dias.

Todos adjetivos que escrevi acima se confirmaram já no primeiro dia de viagem. Ficamos por lá por quatro dias e digo que este é o mínimo para aproveitar bem a cidade. Mas não se preocupe se você tem menos tempo. Montamos um roteiro prático e mostramos o que fazer em Santiago, com os programas imperdíveis para curtir por lá.

Confesso que sempre tive muita expectativa com relação ao Chile, mas não sabia ao certo o que fazer em Santiago. Busquei muitas dicas na internet, mas fiquei um pouco perdida com tanta informação e sem perceber o que, de fato, era realmente importante conhecer. Como fiz uma viagem em casal e era nossa primeira vez em Santiago, priorizamos os principais pontos turísticos e idas a restaurantes, além de que também fizemos questão de conhecer uma vinícola.

Conseguimos também encaixar no roteiro um “pulo” ao Valle Nevado. Aliás, este foi um ponto turístico que ficamos em dúvida se valeria a pena fazer, pois na época em que visitamos Santiago ainda não era o período de neve (fomos no final de março).

 

o que fazer em santiago

Região central de Santiago, cidade bonita, organizada e com povo bastante simpático (Foto: Passaporte Digital)

 

Aqui neste artigo, compartilho com você um pouco de como organizamos nossa viagem, com informações bem úteis sobre preço, localização, como chegar, meios de transporte e casas de câmbio em Santiago, para que você priorize o que mais lhe interessar e aproveite ao máximo a sua estadia. Vamos lá?

 

Roteiro Santiago: Dia 1

1. Plaza de Armas

Começamos o nosso roteiro pelo centro de Santiago, parte que reúne a maioria dos pontos turísticos da capital chilena. Depois de conhecer outros pontos da cidade, confesso que o centro não é a parte mais limpa e organizada, mas é a mais rica historicamente. E é na Plaza de Armas que podemos sentir toda essa vibrante história. Ali, fica o marco zero de Santiago, emoldurado por palmeiras e casarões coloniais. Na praça, tem muitos artistas de rua, comerciantes e turistas. Em todo o seu entorno tem atrações interessantes, como o edifício antigo do Correo Central, de 1882, a neoclássica Catedral Metropolitana e o Museo Histórico Nacional, de 1808.

 

santiago_plaza de armas

Plaza de Armas, o marco zero de Santiago (foto: Joel Mann – Flickr)

Onde fica: Plaza de Armas 951 (metrô Plaza de Armas)
Horário de funcionamento: Museo Histórico Nacional – de terça a domingo, das 10h às 18h
Preço: entrada gratuita

 

2. Museo Chileno de Arte Precolombino

Continuando com nossas dicas de o que fazer em Santiago, ali pertinho da Plaza de Armas fica o Museo Chileno de Arte Precolombino. Se você é um apreciador de história, vai adora conhecer múmias de mais de 7 mil anos, além de esculturas maias e outras peças de arte pré-hispânica do continente americano.

 

santiago_museu precolombino

Museo Chileno de Arte Precolombino tem múmias e peças de arte pré-hispânica (foto: Ian Carvell – Flickr)

Onde fica: Bandera 361 (metrô Plaza de Armas)
Horário de funcionamento: de terça a domingo, das 10h às 18h
Preço: $4.500 pesos (adulto), crianças até 10 anos: grátis. Entrada franca no primeiro domingo de cada mês

 

3. Palacio de La Moneda

Ainda na região central fica o que é, na minha opinião, o mais imponente prédio histórico de Santiago: o Palacio de La Moneda.

o que fazer em santiago

O imponente Palácio La Moneda, sede do governo chileno (Foto: Passaporte Digital)

Além de apreciar a fachada, a sede do governo chileno também fica aberta para visitação interna, mas é preciso agendar com antecedência no site. Se quiser ver a troca de guarda, ela geralmente acontece às 10h, dia sim dia não (infelizmente, não conseguimos ter essa experiência para contar para você). Veja o vídeo abaixo.

 

Onde fica: Moneda sem número (metrô Universidaad Catolica ou Santa Lucia)

 

O QUE FAZER EM SANTIAGO: DICA DE HOTEL TESTADO E APROVADO

 

4. Cerro Santa Lucía

Próximo ao La Moneda, ainda no centro urbano, o Cerro Santa Lucía é perfeito para ter uma vista panorâmica da cordilheira dos Andes, além dos prédios históricos e dos arranha-céus de Santigo. No entanto, o passeio requer um certo esforço físico: 300 graus. Mas a paisagem compensa. Tem até uma fonte inspirada na Fontana di Trevi, de Roma.

santiago_chile

Depois de subir 300 degraus, chega-se ao Cerro Santa Lucía, com vista panorâmica da cordilheira dos Andes (foto: Carlos Varela – Flickr)

Onde fica: Avenida Bernardo O’Higgins 499
Horário de funcionamento: diariamente, das 9h às 19h (metrô Santa Lucia)

 

5. Mercado Central

Adoro visitar mercados, ouvir aquela burburinho de gente, ver o que as pessoas comem, degustar iguarias. No Mercado Central de Santiago não é diferente. Além da venda de pescados, tem muitos restaurantes ali, embora os preços sejam um pouco salgados. Se não tiver com orçamento apertado, a dica é experimentar a famosa centoulla, um caranguejo gigante. Mas prepare o bolso. Você paga por esse prato por volta de R$ 400! Nós deixamos para provar na próxima viagem! rs.

Onde fica: Ismael Valdes Vergara 900 (metrô Puente Cal Y Canto) 

o que fazer em santiago

Mercado Central tem muitos restaurantes para comer a famosa centoulla (Foto: Passaporte Digital)

 

6. Museu Nacional de Bellas Artes

Próximo do Cerro Santa Lucía fica um dos mais importantes museus de Santiago, o de Bellas Artes. No acervo, há pinturas e esculturas dos principais artistas plásticos chilenos. Também existe uma seção de artistas internacionais, além de várias exposições temporárias.

Onde fica: José Miguel de la Barra 650 – Parque Forestal (metrô Bellas Artes)
Horário de funcionamento: de terça a domingo, das 10h às 18h45
Preço: grátis

 

Roteiro Santiago: Dia 2

1. Cerro San Cristóbal

Coninuando nossa lista de o que fazer em Santiago, começamos o segundo dia de viagem em uma montanha de mais de 800 metros: o Cerro San Cristóbal. Para chegar até lá em cima, é preciso subir de um jeito bem diferente, de funicular, que sai da Calle Pio Nono. É bem legal e diferente, parece que estamos voltando no tempo. Lá em cima, tem a estátua da Virgen de La Inmaculada Concepción, com 14 metros de altura. A área pertence ao Parque Metropolitano de Santiago, que tem também um zoológico e um jardim japonês.

santiago_cerro san cristoban

A estátua da Virgem Maria que fica no Cerro San Cristóban (foto: V.T. Polywoda – Flickr)

Estando lá em cima, a dica é descer de teleférico. Se você subiu pelo funicular, terá de comprar uma entrada a mais para usar o teleférico. E a entrada fica meio escondidinha, achamos meio que por acaso, em um caminho sem indicação atrás de uma lojinha que vende artigos religiosos. Achei uma das partes mais bonitas do passeio. Estando dentro do teleférico, em uma cabine que cabe até quatro pessoas, tem duas ou três paradas até chegar ao final do percurso.

Onde fica: Calle Pio Nono 450, Bellavista
Horário de funcionamento: de terça a domingo, das 10h às 18h45, e às segundas, das 13h às 18h45 (horários estendidos no verão)
Preço: variam de acordo com o dia da semana e as estações percorridas, mas variam de $ 800 pesos a $2.600 pesos

 

2. Patio Bellavista

Aproveite que está bem perto do Patio Bellavista e faça uma pausa para o almoço. O lugar é uma graça, cheio de restaurantes e lojinhas ótimas para comprar aquela lembrancinha da viagem. Aqui, sugerimos duas opções que gostamos: o 100 Montaditos, com lanchinhos típicos deliciosos, e o Bar Galindo, com pratos chilenos e carnes.

o que fazer em santiago

O famoso Pato BellaVista com seus restaurantes (Foto: Passaporte Digital)

Clique aqui e veja todas as indicações de restaurantes em Santiago.

Onde fica: Constituicion (metrô Baquedano)

 

3. Casa Museo La Chascona

Falou em Chile se lembrou do poeta Pablo Neruda. Em Santiago, dá para conhecer uma das três casas do autor, a Casa Museo La Chascona, também no bairro Bellavista. Tem visitas guiadas de 40 minutos, nas quais dá para ver livros e anotações do artista, além do Prêmio Nobel de Literatura, recebido em 1971.

 

lachascona_santiago

Em La Chascona, uma das três casas do poeta chileno Pablo Neruda, dá para ver livros e objetos do artista (Divulgação)

Onde fica: Fernando Márquez de la Plata 192 (metrô Baquedano)
Horário de funcionamento: terça a domingo, das 10h às 18h
Preço: $7.000 pesos (adulto), $2.500 estudantes e maiores de 60 anos

 

4. Sky Costanera

O que fazer em Santiago? É claro que o mirante mais alto da América do Sul, com 300 metros de altura, não pode ficar de fora do roteiro. Localizado no shopping Costanera Center, fica no 61º andar (ambiente fechado) e no 62º andar (ambiente ao ar livre), com uma vista 360º de Santiago, mas não se preocupe porque o elevador sobe rapidinho. A dica aqui é ir no final da tarde, porque você consegue ter a vista da cidade de dia e à noite.

o que fazer em santiago

Vista de Santiago a partir do Sky Costanera (Foto: Passaporte Digital)

 

O QUE FAZER EM SANTIAGO: SAIBA MAIS SOBRE PREÇOS E HORÁRIOS DO SKY COSTANERA NESTE POST

 

5. Shopping Sky Costanera

Se você é daqueles que não dispensa um shopping, seja onde for, aproveite a ida ao Mirante do Sky Costanera para conhecer o shopping, que aliás é uma delícia. Lá dentro, encontramos um supermercado que vende vinhos a preços ótimos. Aliás, fica aqui uma dica preciosa: o melhor lugar para comprar vinhos é realmente nos supermercados 😉

 

o que fazer em santiago

Shopping Costanera Center é boa opção para compras, inclusive de vinhos (Foto: Passaporte Digital)

Onde fica: Av. Andrés Bello 2457 (metrô Tobalaba)

 

6. Bar Liguria

Achamos o Bar Liguria por acaso, na hora de voltar para a estação do metrô Tobalaba (fica do ladinho), e simplesmente adoramos tudo. A comida é ótima, o ambiente é super descontraído, o atendimento é muito cortês. Recomendo muito!

 

O QUE FAZER EM SANTIAGO: SAIBA MAIS SOBRE ONDE COMER NESTE POST

 

Roteiro Santiago: Dia 3

1. Vinícola Santa Rita

Entre nossas dicas de o que fazer em Santiago entra um passeio que não fica exatamente na capital chilena, mas dá para fazer um bate-volta no período da manhã tranquilamente. Entre tantas vinícolas que tem nos arredores, optamos por visitar a Vinícola Santa Rita e, sem dúvida, este foi um dos pontos altos da viagem. Além de o lugar ser lindo, ali tivemos uma verdadeira aula sobre vinhos. Para chegar lá, aconselho contratar uma empresa de turismo, pois ir de transporte público é um pouco complicado.

 

o que fazer em santiago

Vinhas da Vinícola Santa Rita, passeio bem pertinho de Santiago (Foto: Passaporte Digital)

 

EXPLICAMOS TUDO SOBRE A VISITA À VINÍCOLA SANTA RITA NESTE POST.

 

2. Shopping Parque Arauco

Continuando nossa lista de o que fazer em Santiago, no retorno da vinícola paramos no Shopping Parque Arauco, no bairro Las Condes, para almoçar. Não que eu curta muito recomendar shoppings, pois prefiro conhecer os pontos turísticos, mas acho que esse vale a pena, principalmente pela área de alimentação ao ar livre. Muito lindo!

Onde fica: Av. Presidente Kennedy, 5413 (metrô Escuela Militar ou Manquehue mais ônibus 411, C11, C20 e 409).
Horário de funcionamento: diariamente, das 10h às 21h

 

3. Parque Araucano

Bem na frente do shopping, tem mais um lugar bacana do bairro Las Condes para conhecer: é o Parque Araucano. O local é lindo, ótimo para uma caminhada. Se estiver com crianças, tem uma área de playground incrível lá. Uma pausa deliciosa depois de ter tomado tanto vinho! rs… E ainda bem que ficava bem pertinho do nosso hotel. Voltamos a pé.

Onde fica: Cerro Colorado (metrô Escuela Militar ou Manquehue mais ônibus 411, C11, C20 e 409).
Horário de funcionamento: diariamente, das 6h às 21h

 

o que fazer em santiago

Parque Araucano, uma ótima opção de passeio em Santiago (Foto: Passaporte Digital)

 

4. Jantar no bairro Lastarria

Para fechar o primeiro dia do roteiro em grande estilo, a dica é conhecer o boêmio bairro Lastarria. Ali, tem um “triângulo” emoldurado por lindos restaurantes, uma delícia passear por ali à noite. Pegamos a indicação de um morador e fomos conhecer a Casa Lastarria, um restaurante supercharmoso e com ótima comida.

Onde fica: Lastarria 70 (metrô Universidad Católica)

 

O QUE FAZER EM SANTIAGO: VEJA MAIS SUGESTÕES DE RESTAURANTE AQUI

 


Roteiro Santiago: Dia 4

1. Valle Nevado

 

o que fazer em santiago

Valle Nevado é bonito até sem neve (Foto: Passaporte Digital)

 

Mesmo não estando na época de neve, queríamos muito conhecer o tão falado Valle Nevado. Daí, descobrimos que dava para fazer um bate-volta de meio dia por lá e resolvemos encarar a experiência. O caminho em si já é uma atração, com estradas sinuosas que dá até um medinho! rs… Brincadeiras a parte, se achar necessário, leve um Dramin para evitar enjôos.

 

2. Parque Bicentenário

O Parque Bicentenário é um daqueles que entram fácil na lista dos top 10. Localizado no bairro de Vitacura, é uma das maiores áreas verdes da cidade. Tem trilhas para caminhar e andar de bicicleta, lagos artificiais, playgrround, enfim, um oásis mesmo. O único problema aqui é que o lugar fica afastado das linhas de metrô. Por isso, o mais conveniente é optar por ônibus ou táxis.

Onde fica: Avenida Bicentenário
Horário de funcionamento: 24 horas

 

3. Jantar no restaurante Mestizo

Quando estiver no parque Bicentenário, não deixe de conhecer o badalado restaurante Mestizo. O visual do restaurante já vale a visita, o cardápio é excelente e a carta de vinhos também. O preço? Bom, mais ou menos o que você pagaria em um bom restaurante de São Paulo. 😉

Onde fica: Avenida Bicentenário, 4050

 

4. Parque de las Esculturas

Se der tempo, ou se você já conhecer o Parque Bicentenário e quiser ver um local diferente, a opção é o Parque de las Esculturas que, como o nome já diz, traz 30 esculturas de diferentes artistas chilenos contemporâneos. Tranquilo, também é um ótimo passeio para fazer com as crianças.

 

santiago_parque de las esculturas

O que fazer em Santiago: É uma delícia passear pelo Parque de Las Esculturas, recheado de obras contemporâneas (foto: Alobos Life – Flickr)

 

Onde fica: Santa Maria 2201
Horário de funcionamento: diariamente, das 10h às 14h e das 15h às 20h
Preço: grátis

 

MAIS ALGUMAS DICAS DE O QUE FAZER EM SANTIAGO

Antes de fechar nosso roteiro de o que fazer em Santiago, gostaria de passar mais algumas informações úteis:

  • Idioma: espanhol
  • Melhor época para ir a Santiago: depende da intenção da viagem. Março é mais fresco e um bom período para visitar as vinícolas. Se quiser esquiar nos arredores, o ideal é ir de julho a setembro.

 

CÂMBIO SANTIAGO

Por último, mas não menos importante, gostaria de passar algumas dicas sobre câmbio em Santiago.

A moeda utilizada no Chile é o peso chileno. Existem muitas casas de câmbio em Santiago, mas recomendo levar pelo menos um pouco já trocado aqui do Brasil, para pagar um táxi, transporte ou comida no primeiro dia, até que você encontre uma casa de câmbio.

Pelo menos foi o que eu fiz e deu certo. Levei 100.000 pesos chilenos para o primeiro dia, paguei o táxi para o hotel e um lanche. Evite usar a casa de câmbio do aeroporto, que tem uma das piores cotações, ok?

Eu tinha pesquisado na internet que as melhores casas de câmbio de Santiago ficavam na região central, especialmente na rua Agustinas. No entanto, eu comprei pesos chilenos em três casas de câmbio diferentes quando estive em Santiago, e a melhor cotação foi uma casa de câmbio que ficava perto do meu hotel, inclusive melhor que a cotação da casa de câmbio da calle Agustinas.

Isso significa que quanto mais longe de regiões turísticas maior será a chance de conseguir uma casa de câmbio com uma cotação melhor.

A terceira casa de câmbio em Santiago que usei, porque foi uma situação meio que de emergência porque calculei mal o valor que ia gastar e precisei trocar mais, foi no Shopping Costanera Center, mas a cotação não estava muito boa não.

Enfim, procure sempre uma casa de câmbio fora da região turística ou, se não for possível, use uma das casas de câmbio na região da rua Agustinas. Essa é a minha dica!

Espero que tenha aproveitado minhas sugestões de roteiro em Santiago. Se puder, compartilhe esta matéria e curta nossa fanpage no Facebook e Instagram! Até a próxima!

 

VEJA MAIS SOBRE O CHILE:

Onde esquiar no Chile
Conheça Torres del Paine
Novo centro de esqui na Patagônia
Férias de inverno no Chile

 

 

 


Alessandra Oggioni

Alessandra Oggioni

Jornalista, mãe e apaixonada por viagens. Seu passatempo preferido é desenhar roteiros e dar pitacos na viagem dos amigos. Depois de passar por mais de 12 países e mais de 30 cidades pelo mundo, criou o blog Passaporte Digital, para reunir dicas de viagem para os melhores destinos no Brasil e no exterior.