Escolha uma Página
O que fazer em Buenos Aires de graça

O que fazer em Buenos Aires de graça

Se a grana está curta e você não sabe ao certo o que fazer em Buenos Aires sem gastar muito, vou trazer aqui algumas dicas de passeios gratuitos para aproveitar ao máximo os dias na capital argentina.

Sabemos que Buenos Aires é um excelente destino para quem está com orçamento apertado. A cidade é barata para comer, se hospedar e sempre com muitas promoções de aéreo. Por isso, o brasileiro visita tanto BA.

Quando se fala em atrações gratuitas, sem dúvida, os passeios ao ar livre são a grande pedida, afinal Buenos Aires tem mais de 100 espaços verdes, que vão desde pequenas praças de bairro até grandes áreas protegidas.

Mas não é só isso. Tem muita coisa legal que dá para aproveitar na cidade.

 

O que fazer em Buenos Aires de graça

 

1- Casa Rosada

o que fazer em Buenos Aires de graça

Dá para visitar o interior da Casa Rosada, de graça (Foto: Passaporte Digital)

Sede do Poder Executivo, a Casa Rosada já é bem conhecida de todos os turistas, um dos cartões-postais mais famosas da Argentina, inclusive.

Mas o que você talvez não saiba é que dá para conhecê-la por dentro também, em um tour gratuito que acontece todos os sábados, domingos e feriados, entre 10h e 18h. Mas tem que reservar com antecedência neste site oficial.

💁 Dica da Alê: O passeio dura 60 minutos, com guias em espanhol (dá para entender bem) e inglês. Os grupos saem a cada meia hora. Aproveite, eu achei bem legal!

o que fazer em Buenos Aires

Turistas fotografam gabinete presidencial na Casa Rosada (Foto: Passaporte Digital)


📍 Localização:
Rua Balcarce, 50, Plaza de Mayo – Buenos Aires
Horário de funcionamento: sábados, domingos e feriados, entre 10h e 18h, com tours a cada meia hora
💰 Preço: grátis

 

2- Catedral Metropolitana

o que fazer em buenos aires-catedral

A bela Catedral Metropolitana, pertinho da Casa Rosada (Foto: Flickr/lukas_y2k)

 

Pertinho da Casa Rosada, em frente a Plaza de Mayo, a Catedral Metropolitana de Buenos Aires é belíssima por dentro e por fora, com suas colunas imponentes na fachada (mas parecidas até com uma construção ao estilo grego).

A primeira construção da igreja foi em 1593, mas a obra definitiva aconteceu em 1752, terminando 100 anos depois. Dentro da igreja, tem um mausoléu com os restos mortais do general José de San Martin e um altar barroco esculpido em madeira.

O local tem visitas guiadas em espanhol e outros idiomas, de segunda a sexta-feira, às 11h30.

📍 Localização: Esquina da San Martín com a Avenida Rivadavia (em frente a Plaza de Mayo) – Buenos Aires
Horário de funcionamento: diariamente, das 9h e 18h30, com missas às 8h30, 12h30 e 17h30. Aos domingos, missa às 10h, 11h30 e 17h30. Museu, de segunda a sexta, das 10h às 14h
💰 Preço: grátis

 

3- Puerto Madero

o que fazer em buenos aires-puerto-madero

Delicioso caminhar por Puerto Madero, em Buenos Aires (Foto: Cristina Yuki Ota Cabrera)

Quando alguém pergunta o que fazer em Buenos Aires sempre tem um passeio por Puerto Madero. Este é um dos bairros mais legais da cidade, com uma espécie de calçadão margeando o rio, ótimo para caminhar em um fim de tarde.

LEIA MAIS: UM PASSEIO POR PUERTO MADERO

O destaque em Puerto Madero fica para a Puente de la Mujer. A obra, projetada pelo arquiteto espanhol Santiago Calatrava, representa um casal dançando tango, onde o mastro branco simboliza o homem e a silhueta curva da ponte, a mulher.

📍 Localização: Gorriti Juana Manuela, 700 – Buenos Aires

 

4- Ecoparque

O que fazer em Buenos Aires de graça

O que fazer em Buenos Aires de graça? O Ecoparque, antigo zoo da cidade, é um lugar lindo (Foto: Divulgação)

O antigo zoológico da cidade de Buenos Aires está sendo transformado em um ecoparque interativo e educacional. Se estiver com crianças, não deixe de conhecer!

Atualmente, é possível visitar duas áreas prontas do parque. A primeira é próxima ao lago, onde você encontra patos, pavões e outras aves que circulam livremente. De outro lado, uma área com mais de 200 árvores e outras plantas nativas, em um bonito passeio em meio a fontes e esculturas.

📍 Localização: Avenida Sarmiento 2601, Palermo – Buenos Aires
Horário de funcionamento: de terça a domingo, das 10h às 17h
💰 Preço: grátis

 

5- Caminito

caminito_buenosaires

Caminito reúne tango, casas coloridas e restaurantes em Buenos Aires (foto: Tracey & Doug)

 

O que fazer de graça em Buenos Aires? O imperdível bairro Caminito é um dos lugares que não pode faltar no seu roteiro.

Caminito é a rua mais famosa da capital argentina e fica no bairro de La Boca. Trata-se de um lugar muito peculiar, com apresentações de tango ao ar livre, casas coloridas de madeira e chapa de aço e muitos restaurantes bacanas.

VEJA A MATÉRIA COMPLETA SOBRE CAMINITO AQUI

 

6- Feira de San Telmo

o-que-fazer-em-buenos-aires

A tradicional foto com a personagem Mafalda, nas ruas de San Telmo (Foto: Beatrice Murch)

Muito tradicional, a feira acontece no bairro de San Telmo, aos domingos entre 10h e 18h. É um programa perfeito para o final de semana e em que se encontra de tudo um pouco: roupas, calçados, bijuterias, comidas e principalmente antiguidades.

As lojinhas do bairro também são excelentes e têm muitos produtos legais para quem deseja fazer compras. Não se esqueça de tirar uma foto com a personagem Mafalda na esquina entre as ruas Chile e Defensa!

📍 Localização: Calle Defensa, bairro San Telmo – Buenos Aires
Horário de funcionamento: aos domingos, das 10h às 18h
💰 Preço: grátis

 

7- Livraria El Ateneo

A tradicional e mais famosa livraria de Buenos Aires, El Ateneo (Foto: Katie Wheeler)

Essa é a livraria mais linda que já vi até hoje! A livraria El Ateneo fica no antigo teatro Grand Splendid, com parte da arquitetura original preservada!

Além de comprar livros, o lugar tem um café e um espaço para livros infantis. Vale a visita, com certeza!

📍 Localização: Avenida Santa Fe, 1860 – Buenos Aires
Horário de funcionamento: de segunda a quinta-feira, das 9h às 22h, às sextas e sábados, fechamento à meia-noite e aos domingos, das 12h às 22h.
💰 Preço: grátis

 

8- Floralis Genérica

o-que-fazer-em-buenos-aires-floralis

Flor de 23 metros abre e fecha as pétalas conforme a luz do sol (Foto: Linda De Volder)

Ao lado da Universidade de Buenos Aires, no bairro da Recoleta, fica a escultura Floralis Generica, na gostosa Plaza de Las Naciones Unidas.

Desenhada pelo arquiteto Eduardo Catalano, a obra metálica em forma de flor de 23 metros de altura abre e fecha as suas pétalas, de acordo com a luz solar. Rende fotos superlegais.

📍 Localização: Av Pres Figueroa Alcorta, 2301 – Buenos Aires
💰 Preço: grátis

 

9- Museu Nacional de Belas Artes

o que fazer em buenos aires-museu-bellas-artes

Museu Nacional de Belas Artes é boa pedida para apreciar obras do mundo inteiro (Foto: Divulgação)

O Museu Nacional de Belas Artes é um dos mais importantes da América Latina, com a maior coleção de arte do país. Conta com obras de artistas argentinos e estrangeiros, como Berni, Alonso, Castagnino, Velázquez, Rubens, Pettoruti, Marc Chagall, Pollock, Amaral, Kandinsky, Klee, Portinari, Rivera, Degas, Gauguin, Goya, Renoir e Picasso. 

📍 Localização: Av. Del Libertador, 1473 – Buenos Aires
Horário de funcionamento: de terça a sexta-feira 12h30 às 20h30 hs. Sábados e domingos de 9h30 às 20h30. Fechado às segundas-feiras.
💰 Preço: grátis

 

10- Cemitério da Recoleta

o que fazer em buenos aires-cemiterio-recoleta-r maas

Para mim é um pouco estranho, mas há quem goste de visitar cemitérios (Foto: R Maas)

Pode parecer estranho, mas muita gente gosta de visitar esse cemitério que virou atração turística. Confesso que não é meu tipo de passeio, mas fica a dica caso queira conhecer.

O fato é que o cemitério da Recoleta guarda boa parte da história da Argentina. Há túmulos de personalidades do país que são verdadeiras obras de arte, com estátuas e mausoléus de mármore. É bastante visitada por profissionais de arquitetura.

📍 Localização: Junín, 1760 – Buenos Aires
Horário de funcionamento: diariamente, das 7h às 18h
💰 Preço: grátis

MAIS SOBRE BUENOS AIRES:

Explorando o bairro Caminito
Um tour em Puerto Madero
Visite a Casa Rosada, em Buenos Aires

Espero ter ajudado você com este artigo aqui do blog! Aproveite para curtir nosso InstagramFacebook e YouTube e acompanhe nossas dicas de viagem. Até a próxima!

 


Alessandra Oggioni

Alessandra Oggioni

Jornalista, mãe e apaixonada por viagens. Seu passatempo preferido é desenhar roteiros e dar pitacos na viagem dos amigos. Depois de passar por mais de 12 países e mais de 30 cidades pelo mundo, criou o blog Passaporte Digital, para reunir dicas de viagem para os melhores destinos no Brasil e no exterior.


Booking.com
Jackson Hole: conheça a estação de esqui nos EUA

Jackson Hole: conheça a estação de esqui nos EUA

Já pensou em esquiar? Destinos de neve ainda não são tão procurados pelos brasileiros, mas podem ser uma opção bem legal para quem gosta de aventura e esportes mais radicais, ou simplesmente quer ter uma experiência diferente. E um resort de esqui que está em alta nos Estados Unidos e é ainda pouco conhecido aqui no Brasil é o Jackson Hole.

Localizada na região oeste do estado de Wyoming, a estação de esqui Jackson Hole tem um cenário de “velho-oeste” norte-americano bem interessante. Não é raro você estar andando por lá e dar de cara com um alce ou um bisão. 

jackson-hole-eua

Vida selvagem é um diferencial no resort Jackson Hole, nos EUA (Foto: Divulgação)

 

Um ponto interessante, especialmente para nós brasileiros que não temos tanta intimidade com neve, é que o resort tem pistas para todos os níveis, inclusive iniciantes no esporte. Além disso, conta com instrutores que falam português, o que ajuda muito na hora de orientar nos primeiros passos com o esqui.

Outro diferencial deste resort é que Jackson Hole fica bem pertinho do famoso Parque Nacional Yellowstone e também do Grand Teton, inclusive dá para combinar uma visita aos três lugares na mesma viagem. O próprio resort oferece alguns passeios para aproveitar todo o entorno das montanhas.

Você pode, por exemplo, fazer um passeio de trenó em Elk Refuge, para ver 10 mil alces em seu habitat, ir de moto de neve até o Parque Nacional de Yellowstone ou, ainda, conhecer as termas naturais da floresta de Bridger Teton. 

jackson-hole-eua

Passeio de trenó é uma das atrações no Resort Jackson Hole (Foto: Divulgação)

 

Temporada 2019/2020 em Jackson Hole

A temporada de neve em Jackson Hole começa em 28 de novembro de 2019 e vai até 12 de abril de 2020.

A novidade deste ano é a inauguração de um lift novinho em folha na Estação Solitude, que dá acesso a novos terrenos tanto para esquiadores avançados como para iniciantes. Os lifts são aqueles elevadores que levam os esquiadores para o topo da montanha após a descida.

Na temporada passada, houve recorde de precipitação de neve: quase 13 metros de altura. Não consigo nem imaginar!

 

Como é a estação de esqui Jackson Hole

 

Número de pistas

134 (10% para iniciantes, 40% para intermediários e 50% para avançados)

Meios de elevação (lifts)

Sistema com 15 lifts:

  • 1 aerial tram com capacidade para 100 pessoas;
  • 2 gôndolas com capacidade para 8 pessoas;
  • 5 cadeiras quádruplas de alta velocidade;
  • 4 cadeiras quádruplas de suporte fixo;
  • 1 cadeira dupla
  • 2 carpet lifts de superfície

 

Jackson Hole

Jackson Hole tem pistas para todos os níveis (Foto: Divulgação)

 

Alturas

Altura da base: 1.924 metros.
Altura máxima: 3.185 metros.
Elevação vertical: 1.261 metros.

Área esquiável

2.500 acres (10 km²)

Neve por ano

Média de 11,5 metros de neve por ano

 

Onde fica Jackson Hole

jackson-hole-esqui

Pistas de esqui da estação Jackson Hole, nos Estados Unidos (Foto: Divulgação)

O resort Jackson Hole fica em um maciço das Montanhas Rochosas (Rocky Mountains) que se estende desde a Columbia Britânica (Canadá) até o Oeste Americano.

Localizado a apenas alguns minutos do Aeroporto da cidade de Jackson Hole, mais precisamente a 14 quilômetros de Jackson e a 34 de Teton Village, que fica na base da montanha.

💁 Dica da Alê: Para aproveitar melhor a sua viagem, o ideal é ter pelo menos cinco dias inteiros na região, para conseguir curtir os parques nacionais e as atividades do resort com tranquilidade.

jackson-hole-resort

Resort tem atividades para toda a família (Foto: Divulgação)

Como chegar a Jackson Hole Mountain Resort

Jackson Hole Mountain Resort é o resort mais acessível das Montanhas Rochosas. Fica a 30 minutos da cidade de Jackson Hole ou Teton Village, vilarejo que dá acesso direto às pistas de esqui de Jackson Hole Mountain Resort.

O acesso é pelo Aeroporto de Jackson Hole, que recebe voos diretos diários partindo de 12 grandes cidades dos EUA, como Atlanta, Nova York, Los Angeles, Minneapolis, Salt Lake City, Seattle, Chicago, Denver, Houston, São Francisco e Dallas.

jackson-hole

Aeroporto Jackson Hole fica próximo à estação de esqui (Foto: Divulgação)

 

📍 Localização:
Jackson Hole Hole Mountain Resort 
3275 West Village Drive
Teton Village, Wyoming

 

Onde se hospedar

jackson-hole-onde-ficar

Quem vai ao resort, pode ficar hospedado na cidade de Jackson ou em Teton Village (Foto: Divulgação)

Quem vai para o resort Jackson Hole pode ficar hospedado na linda cidade de Jackson ou na montanha Teton Village, que está localizada próxima aos parques nacionais de Yellowstone e Grand Teton National Park.

Onde quer que os visitantes prefiram ficar, dependendo de estilo ou orçamento, Jackson Hole tem transporte público de qualidade disponível e, geralmente, oferecem traslados para o resort. 

Se preferir, Jackson Hole Resort Lodging oferece imóveis que podem ser alugados por temporada. As acomodações vão desde apartamentos ao estilo estúdio a acomodações de luxo com cinco quartos e acesso direto às pistas de esqui. Inclui cozinha completa, áreas de estar espaçosas, banheira de hidromassagem e piscina, além da opção pela arrumação diária do quarto.

MAIS SOBRE ESTAÇÕES DE ESQUI:

Patagônia Chilena tem novo resort de neve
11 Lugares para esquiar no Chile e na Argentina
Onde esquiar no Chile

Espero ter ajudado você com este artigo aqui do blog! Aproveite para curtir nosso InstagramFacebook e YouTube e acompanhe nossas dicas de viagem. Até a próxima!

 


Alessandra Oggioni

Alessandra Oggioni

Jornalista, mãe e apaixonada por viagens. Seu passatempo preferido é desenhar roteiros e dar pitacos na viagem dos amigos. Depois de passar por mais de 12 países e mais de 30 cidades pelo mundo, criou o blog Passaporte Digital, para reunir dicas de viagem para os melhores destinos no Brasil e no exterior.


Booking.com
O que fazer em Nova York: ROTEIRO COMPLETO

O que fazer em Nova York: ROTEIRO COMPLETO

O que fazer em Nova York? A lista é enorme, por isso a gente precisa ter em mente alguns fatores importantes antes de definir o roteiro.

1- É a primeira vez em Nova York?
2- Quantos dias tem para aproveitar?
3- Qual o perfil de preferências: roteiro cultural, gastronômico, pontos turísticos…
4- Bolso: quanto tem de $ para curtir a cidade

Diante de tantas variáveis, selecionei os lugares que mais gostei de visitar em minhas duas idas para Nova York, uma delas há dez anos e outra agora, em 2019. Vamos ao roteiro? Escolha seu tema e programe seus dias de acordo com seu interesse.

 

O que fazer em Nova York

Para facilitar a busca pelo seu roteiro ideal, dividi a minha lista de o que fazer em Nova York por temas. Escolha o seu e divirta-se muito!

 

1- Parques de Nova York

Em uma cidade frenética como Nova York, os parques são verdadeiros oásis em meio ao trânsito e à agitação. O principal deles é o Central Park, mas andando pela cidade você certamente irá esbarrar em pequenos espaços verdes deliciosos, onde os moradores locais aproveitam para almoçar (sim, isto é bem comum por lá) ou relaxar entre um compromisso e outro.

Vou listar aqui, os parques que eu mais gostei em Nova York para incluir no seu roteiro. Vamos lá.

Central Park

o que fazer em Nova York

O Central Park tem atrações de todos os tipos (Foto: Ep-Jhu)

Não tem como deixar o Central Park de fora na sua lista. Mesmo que você já tenha ido a Nova York várias vezes, certamente tem algum cantinho desse enorme parque que você ainda não explorou, afinal são 3 quilômetros de área verde.

Para quem vai a primeira vez, seguem algumas atrações bem bacanas para fazer por lá:

  • Andar de bike alugada
  • Passear de charrete
  • Fazer um piquenique
  • Levar as crianças para uma volta no carrossel antigo
  • Visitar o zoológico do filme Madagascar
  • Passear de barco no lago
  • Patinar no gelo (no inverno)

LEIA MAIS SOBRE O CENTRAL PARK NESTE POST

High Line

high-line

HIgh Line: parque suspenso delicioso em Nova York (Foto: Passaporte Digital)

Este é um parque suspenso localizado em uma bairro bem mais tranquilo, o Chelsea. Ele funciona em uma antiga linha de trem, transformada em um espaço aconchegante e cheio de arte.

Na verdade, o High Line, apesar de ser um parque, está mais para uma passarela que atravessa 19 quarteirões com jardins, bancos, instalações e esculturas, uma espécie de galerias de arte ao ar livre.

VEJA TUDO SOBRE O HIGH LINE AQUI NESTE POST

Brooklyn Bridge Park

o que fazer em Nova York

Esse é o carrossel mais lindo que eu já vi, fica no Brooklyn (Foto: Passaporte Digital)

Este parque fica no Brooklyn, mas vale a pena cruzar o parque e curtir o lugar. Ele fica na região conhecida como Dumbo, que é excelente para comer e andar à beira do rio East. Tem até um carrossel lindíssimo.

Se conseguir, faça sua visita em um domingo e aproveite também o Flea Market, uma feirinha de antiguidade que fica perto do parque, com muitas coisas legais para comprar e barraquinhas de comida também.

SAIBA MAIS SOBRE O BROOKLYN NESTE ARTIGO 

 

 

2- Principais pontos turísticos de Nova York

Estátua da Liberdade

o que fazer em nova york

Vista da Estátua da Liberdade a partir do ferry gratuito (Foto: Passaporte Digital)

 

Estátua da Liberdade é, sem dúvida, um dos maiores símbolos de Nova York. O monumento fica na Ellis Island e, por isso, é acessível somente de barco. Tem o passeio de barco oficial que custa a partir de US$ 18,50, mas também dá para ver a Estátua sem ter que pagar nada. Não perca essa chance!

VEJA AQUI COMO VER A ESTÁTUA DA LIBERDADE DE GRAÇA

Times Square

o que fazer em Nova York times square

Times Square: ponto obrigatório em Nova York (Foto: Passaporte Digital)

 

A Times Square reflete, de verdade, o espírito de Nova York. Quando você chega a mais famosa praça de Nova York pela primeira vez, não há como não ficar impressionado (a) com aqueles telões luminosos gigantes, aquela movimentação enorme de pessoas, a diversidade cultural, os cartazes dos teatros da Broadway, os táxis amarelos passando, o barulho de sirenes ao fundo. Parece que você está dentro de um filme! É demais!

QUER SABER TUDO O QUE TEM DE INTERESSANTE NA TIMES SQUARE? CLIQUE AQUI

Ponte do Brooklyn

o que fazer em Nova York

Ponte do Brooklyn tem quase 2 km de extensão (Foto: Passaporte Digital)

 

Atravessar a Ponte do Brooklyn, em Nova York, é uma sensação deliciosa. Você se sente parte da cidade e tem uma vista linda, para todos os lados que você olha.

Com quase 2 km de extensão, a ponte suspensa por cabos de aço mais famosa de Nova York tem uma parte exclusiva para pedestres e ciclistas. Ela passa sobre o rio East River e conecta Manhattan e Brooklyn. Vale a pena atravessar a pé e conferir as atrações do Dumbo, região famosa no Brooklyn.

SAIBA TUDO SOBRE O BROOKLYN AQUI

Wall Street

o que fazer em Nova York

Para tirar foto com o touro tem que pegar fila (Foto: Passaporte Digital)

O centro financeiro de Nova York é algo que chama a atenção, principalmente se você trabalha neste setor. Eu aproveitaria o roteiro no mesmo dia da Estátua da Liberdade, pois dá para ir a pé.

Em Wall Street, os pontos mais visitados são a Bolsa de Valores de Nova York, a Trinity Church e o Charging Bull, que é a famoso touro de bronze. Diz a lenda que passar as mãos nas partes do bicho traz sorte e dinheiro. Eu não quis pagar esse mico não! rs…

Grand Central Terminal

Esse lugar é demais! Parece que o mundo passa por ali. O Grand Central Terminal é uma grande estação que interliga diversas linhas de trem, ônibus e metrô.

Além de ser linda, a estação central tem diversas lojas, restaurantes, mercados e tudo mais que você precisar. Pode ter certeza que, em algum momento da viagem, você vai passar por ali!

 

St Patrick Cathedral

times-square-st-patrick

A igreja de St Patrick, pertinho da Times Square, é linda por dentro e por fora (Foto: Passaporte Digital)

 

Construída entre 1858 e 1878, a St. Patrick’s Cathedral é a igreja católica mais famosa dos Estados Unidos.

Localizada em plena Quinta Avenida, perto do Rockfeller Center, ela chama a atenção por sua beleza externa e interna. Se tiver a oportunidade, entre para observar a arquitetura. É uma catedral belíssima que se transformou em ponto turístico obrigatório em Nova York!

 

The Vessel

the-vessel

Dá para combinar a visita ao The Vessel com o High Line (Foto: Passaporte Digital)

Ponto turístico mais recente, inaugurado em 2019, o The Vessel é uma mistura de monumento e observatório. Eu adorei conhecer o lugar que se tornou sensação em Nova York.

Ao todo, 154 lances de escadas interconectados (em um total de 2.500 degraus) para chegar ao ponto mais alto da “escultura” de bronze, que lembra uma colmeia, com altura de 45 metros!

VEJA TUDO SOBRE O THE VESSEL AQUI

 

Roosevelt Island

Andar de bondinho até a Roosevelt Island é um passeio delicioso em Nova York, passando por cima de avenidas de Manhattan e depois do rio East. Dá até para ver o interior de apartamentos, pois o teleférico passa quase na janela dos edifícios.

Na ilha propriamente dita não há muito o que fazer, o que vale mesmo é a experiência do bondinho. Localizada no East River de Manhattan, a ilha é bem pequena e quase inteira residencial. Mesmo assim, vale duas horinhas do seu roteiro!

O preço do teleférico é o mesmo de uma passagem de metrô (pode-se usar o bilhete de transporte).

 

3- Observatórios de Nova York

Empire State Building

empire state

O icônico Empire State se destaca na paisagem de Nova York (Foto: Pixabay)

 

O Empire State Building tem uma vista incrível. Localizado no coração de Midtown Manhattan, os observatórios ficam no 86º andar (aberto) e no 102º andar (fechado). De lá, você consegue ver parte do Central Park, o Chrysler Building, a Wall Street e outros pontos turísticos famosos de Nova York.

Construído em 1931, o Empire State é aquele do famoso filme King Kong, onde o gorila se pendura. Ele aparece também nas histórias do Homem Aranha.

📍 Localização: Entrada pela Quinta Avenida, entre as ruas 33 e 34

Preço: Ingressos para o 86º andar (Main Deck)
Adultos: US$ 36
Crianças (6 a 12 anos): US$ 31
Crianças até 5 anos: grátis
Idosos (maiores de 62 anos): US$ 35
Top of the Rock

top-of-the-rock

Vista do deck do 70º andar do Top of the Rock, em Nova York (Foto: Passaporte Digital)

 

Top of the Rock é o observatório do famoso edifício Rockfeller Center. De lá, se tem uma visão panorâmica de vários pontos turísticos de Nova York, como o Central Park, a Times Square, o Chrysler Building, a Brooklyn Bridge e o Hudson River.

O que achei mais legal desta vista foi justamente conseguir visualizar outro prédio famoso da cidade: o Empire State! Depois de subir 70 andares, você tem um deck interno e mais dois decks externos para observar Nova York em uma visão 360° da cidade totalmente livre.

📍 Localização: Entrada pela Rua 50, entre a Quinta e a Sexta Avenida

Preço:
Adultos: US$ 38
Crianças (6 a 12 anos): US$ 32
Crianças até 5 anos: grátis
Idosos (maiores de 62 anos): US$ 36

SAIBA TUDO SOBRE OS OBSERVATÓRIOS DE NOVA YORK AQUI

 

One World Trade Center

one-world-trade-center

Vista noturna do One World Trade Center, em Nova York (Foto: Passaporte Digital)

 

One World é o observatório do novo World Trade Center. Na minha opinião, é o que tem a vista mais impressionante!

Do 102º andar, você tem uma visão maravilhosa do rio Hudson, da Estátua da Liberdade, do Central Park e de muitos outros pontos turísticos. Sem dúvida, se tivesse que escolher entre um dos três observatórios, eu escolheria o One World Trade Center!

📍 Localização: 285 Fulton Street, Nova York

Preço:
Adultos: US$ 35
Crianças (6 a 12 anos): US$ 29
Crianças até 5 anos: grátis
Idosos (maiores de 65 anos): US$ 33

 

4- Compras em Nova York

Empire Outlets

outlet-nova-york

Novo outlet de Nova York fica bem pertinho da Estátua da Liberdade (Foto: Passaporte Digital)

 

Fazer compras nos Estados Unidos é uma delícia. Inaugurado em maio de 2019, o Empire Outlets é o único outlet localizado em Nova York. Até então, para encontrar um outlet, os turistas precisavam se deslocar até a vizinha New Jersey, no Jersey Gardens, ou ir até o Woodburry Common, em Central Valley.

É muito fácil chegar ao novíssimo Empire Outlets. Localizado bem próximo ao terminal de onde partem as balsas para visitar a Estátua da Liberdade, é bem mais perto que os demais outlets. O percursos leva de 20 a 30 minutos a partir do sul de Manhattan.

VEJA A MATÉRIA COMPLETA SOBRE O EMPIRE OUTLETS AQUI

Quinta Avenida

o que fazer em Nova York

Quinta Avenida: concentração de lojas de luxo em Nova York (Foto: Passaporte Digital)

A Quinta Avenida é um passeio a parte. A mais famosa avenida de Nova York concentra as lojas mais caras da cidade, com muitas grifes ao longo de sua extensão de 1,5 quilômetro. Alguns exemplos de marcas que estão por lá: Armani, Cartier, Bulgari, Louis Vuiton e Apple.

Além do passeio para compras, a Quinta Avenida também tem pontos turísticos importantes, como a catedral St. Patrick, o Metropolitan Museum e a Biblioteca Pública de Nova York.

 

Century 21

Eu simplesmente amei esta loja, especialmente pela variedade e pelos preços. Eu estive na loja da Century 21 ponta de estoque, que fica em Downtown. Gostei da organização da loja, com muitas promoções, especialmente no setor de roupas de marca e calçados. Superindico para quem quer economizar.

Dica da Alê: coloque sua ida à Century 21 no dia do roteiro com a Estátua da Liberdade, Wall Street ou World Trade.

📍 Localização: 22 Cortlandt Street – Estação Fulton St ou World Trade Center, linha E

Burlington

Esta loja eu também tenho obrigação de indicar. Em termos de preço baixo, acho que a Burlington é a melhor de todas para fazer compras. Com muitas coisas de marca e diversas promoções, adorei o setor de bolsas, calçados e perfumes. Só para se ter ideia, um perfume masculino que no free shop estava US$ 69 nós pagamos US$ 29.

📍 Localização: 707 6th Avenue

TJMaxx

É outra loja de departamento bem famosa quando se fala em preços baixos. Apesar disso, eu achei a loja bem bagunçada, bem difícil de achar os itens que você quer. Parece mais um grande brechó. Acabei saindo de mãos vazias. 

📍 Localização: 808 Columbus Ave

Macys

A Macys é a mais famosa loja de departamento de Nova York. Eu achei muito interessante ver a variedade de coisas que se pode comprar ali. Tem de tudo mesmo: roupas, perfumes, cosméticos, calçados, decoração para casa! Os preços não são tão atrativos como as da Century 21 e a da Burlington, mas vale dar uma xeretada nas promoções.

📍 Localização: 151 W 34th St

Apple Store

Se o objetivo é comprar produtos da Apple, aproveite a loja da marca na Quinta Avenida. A loja é linda (estava em reforma quando estive lá da última vez) e tem até vendedor que fala português, caso precise.

📍 Localização: 767 5th Ave

 

Fao Schwarz

Esta loja é maravilhosa para comprar brinquedos. Logo de cara, você é recebido na recepção por uma princesa ou soldadinho de chumbo. Fica perto do Rockfeller Center e eu achei brinquedos bem diferentes por lá. O preço não é tão atrativo, mas fique atento às promoções.

📍 Localização: Rockfeller Plaza

5- Museus de Nova York

Olha, Nova York tem tantos museus (mais de 80) que fica até difícil selecionar. Se este é o seu perfil de visitante, vale a pena fazer um roteiro bem específico com este tema. Vou listar aqui os principais museus da cidade e falar um pouco sobre os meus museus prediletos em Nova York.

Museu de História Natural

Museu de História Natural de Nova York tem de tudo: de baleia a dinossauro (Foto: Passaporte Digital)

O Museu de História Natural de Nova York é aquele famoso do filme Uma Noite no Museu. Os bichos empalhados parecem reais, tudo é muito divertido e curioso. Tem também fósseis de dinossauros, curiosidades sobre o planeta Terra, espaço e evolução do homem. Reserve no mínimo uma tarde ou manhã inteira para conhecer o museu.

Fica no Central Park West & 79th St.

Memorial 11 de Setembro

VIDEO

Eles não chamam o Memorial de 11 de Setembro de museu, mas coloquei a atração aqui por considerar um lugar muito importante pela história dos atentados e, especialmente, das pessoas que morreram. O lugar é tocante. Você vê colunas originais do prédio que foram mantidas no lugar de origem, veículos utilizados no resgate das vítimas e objetos em memória das vítimas.

Apesar de triste, vale muito a visita sob o ponto de vista histórico.

MoMa – Museu de Arte Moderna

VIDEO

Quem adora arte não pode perder o MoMa, o Museu de Arte Moderna de Nova York. Ali, você encontra obras de artistas como Pablo Picasso, Andy Warhol, Vicent van Gogh, Monet, Cézanne, Frida Kahlo, Andy Warhol, entre muitos outros.

O ingresso custa US$ 25, mas às sextas-feiras, a partir das 16h, a entrada é gratuita. Precisa retirar o ticket no balcão.

📍 Localização: Fica na 11 W 53rd St

 

VEJA DICAS PARA ECONOMIZAR EM SUA VIAGEM A NOVA YORK

 

6- Edifícios icônicos

Flatiron Building

o que fazer em nova york

O icônico Flatiron Building foi construído em 1902 e é um dos prédios mais antigos de Nova York (Foto: Passaporte Digital)

O Flatiron Building é aquele famoso edifício de Nova York no formato de um ferro de passar. Eu achei super diferente a arquitetura e vale uma visita rápida para tirar fotos divertidas.

Construído em 1902, o Flatiron Building é um dos mais antigos da cidade que ainda se mantém original. Tem 93 metros de altura e 21 andares. Funciona hoje como um prédio comercial, mas não está aberto para visitas turísticas.

📍 Localização: 23rd Street, entra a Quinta Avenida e a Broadway.

Rockfeller Center

times square rockfeller center

Rockfeller Center: pertinho da Times Square (Foto: Passaporte Digital)

 

O Rockfeller Center é um complexo com 19 edifícios e uma praça no centro! No inverno, fica ainda mais legal com uma pista enorme de patinação do gelo e uma árvore de Natal maravilhosa.

Independente da época do ano, vale sempre dar uma passada por lá para conferir as novidades, tem sempre algum evento legal acontecendo ali. No entorno, estão lojas como a da Lego e a lindíssima FAO Schwarz, que vende brinquedos!

No topo de um dos edifícios do Rockfeller está o observatório Top of the Rock.

📍 Localização: 45 Rockfeller Plaza

7- Musicais da Broadway

times square tkts

Quiosque da TKTs na Times Square para comprar ingressos para as peças da Broadway mais em conta (Foto: Passaporte Digital)

Não tem coisa mais nova-iorquina do ir a uma peça da Broadway. São mais de 40 teatros espalhados nos arredores da Times Square, principalmente entre as ruas 41th e 54 th, e entre a 6ª e a 8ª Avenidas.

Aconselho ir a um musical para conhecer as superproduções (mesmo que você não fale inglês, é muito lindo). Alladin e Frozen são os que estão em alta no momento por lá! Mas tem os clássicos como Chicago e The Lion King.

📍 Dica da Alê: Embaixo da escadaria da Times Square tem um quisoque da TKTs que vende ingressos para os musicais da Broadway mais baratos, para usar no mesmo dia! É um bom desconto! Vale a pena!

8- Mercados gastronômicos

Chelsea Market

O Chelsea Market é realmente um passeio gastronômico imperdível em Nova York. Ocupando um quarteirão inteiro da área conhecida como Meatpacking District, o local tem lojas de tudo quanto é tipo: queijos, vinhos, frutas, pães, geleias, mel, castanhas, nozes, doces, carnes, além de roupas e lembrancinhas e, claro, muitos cafés e restaurantes.

O ideal é combinar sua visita ao Chelsea Market quando for ao High Line e ao The Vessel.

📍 Localização: 75 9th Avenue (entre as ruas 15th e 16 St) – Estação 14th Street/8th Avenue (linhas A, C, E ou L)

Time Out Market

Localizado em um antigo galpão na região conhecida como Dumbo, no Brooklyn, o Time Out Market foi inaugurado este ano. O espaço tem diversas lojas e restaurantes e um terraço (rooftop) com uma vista incrível para a Ponte do Brooklyn e o rio East.

O Time Out Market conta com 21 restaurantes dos mais variados tipos: culinária japonesa, italiana, mexicana, sanduíches, sorvetes, entre outras. Eu optei pelo Juliana´s Pizza, e não me decepcionei.

📍 Localização Time Out Market New York: 55 Walter St, Brooklyn

 

9- Nova York com crianças

o que fazer em nova york

Nova York também tem inúmeras atrações para os pequenos, com parques, zoológico e museus

Ir a Nova York com crianças é proporcionar a elas uma experiência para lá de incrível. Não faltam atrações bacanas para os pequenos por lá: atrações culturais, shows, entretenimento, passeios ao ar livre, zoológico, enfim, tudo o que os pequenos gostam em um só lugar.

Dica da Alê: Uma dica importante para quem vai a Nova York com crianças: não programe muitos passeios para o mesmo dia! Não dá para impor o ritmo de viagem de um adulto para os filhos, senão corre-se o risco de todos ficarem estressados.

Entre os lugares que eu mais recomendo levar os filhos são:

Museu de História Natural

O Museu de História Natural é sensacional tanto em termos de diversão, por ser bastante interativo, como cultural, pois se aprende muito por lá. Eu fiquei encantada com a parte dos animais marinhos. Tem até uma baleia gigante! É de impressionar.

📍 Localização: Fica na Central Park West & 79th St.

 

o que fazer em nova york

Animais atraem olhares das crianças no Museu de História Natural de Nova York (Foto: Passaporte Digital)

 

Zoológico do Central Park

O Central Park por si só já é uma atração obrigatório, inclusive com crianças. Além de piquenique, carrossel e caminhadas, eu recomendo muito visitar o zoológico (sim, aquele do filme Madagascar). Lá tem leopardo, leão marinho, pinguins, morcegos, macacos, pássaros, enfim, uma delícia!

📍 Localização: Para ficar mais fácil localizar o zoo dentro do parque, ele está entre as ruas 63rd e 66th.

 

Museu das Crianças de Manhattan

Este foi um achado durante a minha visita a Nova com crianças! O Museu das Crianças de Manhattan não é tão famoso como o de História Natural, mas eu indico de olhos fechados. O espaço é supercultural e muito educativo, com exposições para todas as idades, inclusive para bebês.

📍 Localização: Fica na 212 West 83rd Street.

 

VEJA NOSSO POST COMPLETO SOBRE ATRAÇÕES PARA CRIANÇAS EM NOVA YORK

 

10- Informações essenciais de Nova York

Temperatura em Nova York

natal-em-nova-york

Pista de patinação no gelo do Rockefeller Center funciona no inverno (Foto: Divulgação)

Diferentemente do Brasil, a temperatura em Nova York varia bastante conforme a estação do ano, com invernos bem rigorosos e calor no verão!

Quando ir a Nova York? Depende do seu interesse, vamos listar o melhor período para você programar sua viagem a Nova York.

Se quer ver neve: vá entre dezembro e fevereiro, no auge do inverno, quando a temperatura fica entre 2 graus e 5 graus abaixo de zero.

Se quer dias com temperaturas amenas: aproveite a primavera, de março a maio, quando a cidade fica mais florida e com temperatura mais agradável, por volta dos 7 graus.

Se quer dias calorosos: vá no verão, entre junho e agosto para curtir os dias ao ar livre com temperaturas que podem chegar aos 35 graus.

Se quer um clima outonal: perfeito para passear pelas ruas de Nova York, com calorzinho de leve de dia e temperaturas mais frias durante a noite, aproveite o outono de Nova York, entre setembro e novembro.

 

Metrô Nova York: como circular

o-que-fazer-em-nova-york

Tentando me localizar no metrô de Nova York. Depois que você entende como a cidade funciona, fica fácil (Foto: Passaporte Digital)

 

O metrô de Nova York tem incríveis 368 quilômetros de extensão, sendo o quinto maior do mundo!

Quando você vai a uma grande estação pode se espantar porque é um tanto diferente dos metrôs brasileiros, pois em um mesmo trilho passam diferentes linhas. Então, fique atento antes de entrar no vagão.

Quando você olha o mapa do metrô de Nova York pode ficar inicialmente confuso, mas aos poucos você vai entendendo como funciona. Vou passar algumas dicas bastante úteis

Dica 1: Antes de entrar na estação, ainda na rua, verifique o lado correto da entrada, se quer ir para Uptown (sentido norte de Manhattan, Bronx e Queens) ou Downtown (sentido sul de Manhattan e Brooklyn), para saber a direção correta e não ter que sair da estação e perder tempo.

Dica 2: Toda estação tem wi-fi gratuito. então, baixe o app do metrô de Nova York e consulte sempre que tiver dúvidas sobre qual a linha de determinado ponto que quer visitar.

Dica 3: Algumas estações tem a linha local e a expressa. A expressa não para em todas as estações, então é ideal para usar em horários de pico. Mas fique atento para se certificar que o trem vai parar na estação que você precisa descer.

Dica 4: Bilhete do metrô

o que fazer em nova york

Bilhete ilimitado do metrô custa US$ 33 por sete dias de uso (Foto: Passaporte Digital)

Esta dica é importante. Para andar no metrô de Nova York você pode comprar os bilhetes individualmente ou adquirir o MetroCard, que é muito mais econômico se você for circular pela cidade de metrô.

Você tem duas opções: A primeira é o MetroCard recarregável, onde você insere crédito e vai debitando conforme o uso. Este sistema é indicado para quem vai ficar menos de quatro dias na cidade ou vai ter poucos deslocamentos. Além disso, pode ser usado por mais de uma pessoa ao mesmo tempo.

A segunda opção é a modalidade Unlimited Ride, ou seja, com viagens ilimitadas dentro do período contratado. Vai de uma semana a 30 dias de uso de forma individual. Vale bastante a pena. Preço: US$ 33, para 7 dias de uso. Eu comprei o meu assim que sai do aeroporto em uma banca de revistas.

Nova York mapa

Não precisa ter o mapa de Nova York decorado, mas é importante ter uma noção de como a cidade mais populosa dos Estados Unidos é dividida. São 5 bairros principais – chamados de “Boroughs”, com características bem distintas: Manhattan, Brooklyn, Queens, Bronx e Staten Island.

nova york mapa

Divisão dos boroughs (ou bairros principais) de Nova York (Foto:

 

É na ilha de Manhattan que está a maioria das atrações turísticas de Nova York. Para se localizar por lá, é importante saber que a ilha é dividida como Downtown ou Lower Manhattan (sentido sul), Midtown (região central de Manhattan) e Uptown (norte), para conseguir se direcionar entre as avenidas seguindo um sentido lógico, a partir da First Avenue chegando até a 12th Avenue.

As ruas menores cortam seguem o sentido de leste para oeste, ou seja, do rio Hudson (à direita) para o rio East (à esquerda), com ruas nomeadas por números até a 220th Street.

Avenidas principais de Nova York servem de guias para se locomover em Manhattan (Google Maps)

Confira as principais atrações turísticas por zona:

Uptown: Central Park Zoo, Museu de História Natural, Met, Guggenheim Museum.

Midtown: Times Square, Rockfeller Center, Empire State, Madison Square, St Patrick Cathedral, MoMa.

Downtown: SoHo, Little Italy, Chinatown, Wall Street, One World Trade Center, 9/11 Museum, Estátua da Liberdade.

 

Espero que tenha gostado do nosso roteiro de Nova York, com dicas práticas para aproveitar melhor sua viagem.

 

Curta nossas redes sociais e continue acompanhando nossas dicas de viagem: Facebook | Instagram | YouTube | Pinterest 


Alessandra Oggioni

Alessandra Oggioni

Jornalista, mãe e apaixonada por viagens. Seu passatempo preferido é desenhar roteiros e dar pitacos na viagem dos amigos. Depois de passar por mais de 12 países e mais de 30 cidades pelo mundo, criou o blog Passaporte Digital, para reunir dicas de viagem para os melhores destinos no Brasil e no exterior.


Booking.com
Ponte do Brooklyn: melhor jeito de atravessar

Ponte do Brooklyn: melhor jeito de atravessar

Da primeira vez que fui a Nova York, não consegui atravessar a Ponte do Brooklyn e isso me deixou bem frustrada. Quando fui pela segunda vez, coloquei a tão famosa Brooklyn Bridge como prioridade no meu roteiro! E vale muito a pena!

Mas quando estava preparando o roteiro, fiquei com muitas dúvidas: qual o melhor jeito de atravessar a Ponte do Brooklyn? Quantos quilômetros tem? Pode ser de bicicleta? É melhor atravessar de Manhattan para o Brooklyn ou ao contrário? O que tem de interessante no outro lado?

Enfim, fui atrás dessas informações e compartilho com vocês minha deliciosa experiência em Nova York.

 

1- Como atravessar a Ponte do Brooklyn?

Atravessar a Ponte do Brooklyn, em Nova York, é uma sensação deliciosa. Você se sente parte da cidade e tem uma vista linda, para todos os lados que você olha.

Com quase 2 km de extensão, a ponte suspensa por cabos de aço mais famosa de Nova York tem uma parte exclusiva para pedestres e ciclistas. Ela passa sobre o rio East River e conecta Manhattan e Brooklyn.

Em um nível abaixo dos ciclistas e pedestres, ainda circulam uma média de 120 mil carros todos os dias. É bem estranho você atravessar uma ponte com os carros passando por baixo de você! Mas é assim que é essa charmosa ponte!

ponte-do-brooklyn

Ponte do Brooklyn tem quase 2 km de extensão (Foto: Passaporte Digital)

 

2- Em quanto tempo eu consigo atravessá-la a pé?

O trajeto a pé dura em torno de 30 a 40 minutos, fora os minutos que você vai gastar para tirar suas lindas fotos, claro! 

 

3- Dá para atravessar a Ponte do Brooklyn de bicicleta?

Sim, você pode alugar uma bike e pedalar no espaço exclusivo para bicicletas. Existem alguns lugares próximos à ponte que alugam. O valor fica em torno de US$ 15 a hora.

 

4- Vou ter que ir e voltar a pé?

Não. Você pode fazer apenas um dos trechos a pé e ir ou voltar de metrô. 

Vá com um calçado confortável e siga sempre em frente! A ponte tem um espaço reservado para pedestres e outro para bicicletas. 

Se estiver a pé, tome cuidado para não “invadir” a ciclovia. Muitos ciclistas passam com velocidade e se irritam com turistas que cruzam a pista, podendo até causar acidentes.

 

 

5- Qual o melhor jeito de atravessar a Ponte do Brooklyn?

Há quem diga que o melhor jeito de atravessar é sentido Brooklyn-Manhattan, para se ter uma vista de Nova York. Eu fiz o caminho contrário, pois já estava próximo da ponte e resolvi fazer o trajeto Manhattan-Brooklyn. 

Além disso, tem uma estação de metrô (Brooklyn Bridge City Hall) que fica bem do lado e facilita muito a locomoção.

Se quiser fazer o caminho inverso, do Brooklyn para Manhattan, aconselho descer na estação High St, que fica no Brooklyn.

Ponte do Brooklyn

Foto clássica na Ponte do Brooklyn. Chegue cedo se quiser menos gente de fundo (Foto: Passaporte Digital)

 

6- Qual o melhor lugar para aquela foto linda na Ponte do Brooklyn?

Em qualquer ponto da ponte você consegue fotos lindas!

O difícil mesmo é conseguir uma foto sem ninguém atrás! Mas já vi fotos de pessoas que madrugaram para conseguir tirar fotos sem uma multidão de fundo! As minhas ficaram cheias de gente mesmo! 

💁 Dica da Alê: Se puder dar uma dica, recomendo fazer o passeio pela manhã (o mais cedo que puder). Primeiro, para evitar aglomeração. Segundo, porque tem tanta coisa legal do outro lado que você certamente vai aproveitar muito o seu dia.

Já se quiser aquela foto clássica de Manhattan à noite, minha sugestão é cruzar a ponte do Brooklyn após às 20 horas, para ver uma New York iluminada.

 

7- O que tem para fazer no Brooklyn?

Ponte do Brooklyn

Manhattan Bridge vista a partir do Brooklyn Bridge Park (Foto: Passaporte Digital)

Olha, isso rende um outro post. Eu realmente adorei o Brooklyn, me surpreendeu muito ver a quantidade de restaurantes, lugares gostosos para comer ou tomar um chopp na região conhecida como DUMBO (Down Under Manhattan Bridge Overpass). Eu amei!

Vou listar aqui o que eu achei imperdível por lá:

  • Brooklyn Bridge Park

Depois de caminhar pela Ponte do Brooklyn, uma pausa no parque é bem conveniente. Eu achei o lugar uma delícia. Quem estiver com crianças, tem um carrossel muito lido para distrair os pequenos. O Brooklyn Bridge Park fica aberto diariamente, entre 6h e 23h.

Ponte do Brooklyn

Esse é o carrossel mais lindo que eu já vi, fica no Brooklyn (Foto: Passaporte Digital)

 

  • Time Out Market 

Esse lugar é sensacional. Entrei meio que sem querer, depois fui descobrir que o lugar acabou de ser inaugurado.

O Time Out Market é uma espécie de “mercado-shopping” com muitos restaurantes e lojas bacanas e descoladas. Eu escolhi a pizza de Marguerita do Juliana´s para almoçar (US$ 20) e gostei bastante. 

Pausa para o almoço no Juliana´s Pizza, que fica no Time Out Market, no Brooklyn (Foto: Passaporte Digital)

 

Além das inúmeras opções para almoçar e tomar uma bebida, o melhor do lugar é curtir a vista externa, para a ponte do Brooklyn e para a Ponte de Manhattan. Vale muito a vista!

💁 Dica da Alê: Somente os bares do Time Out aceitam dinheiro em espécie. Os restaurantes só aceitam cartão de crédito. Caso você não queira usar o seu, você pode colocar crédito no cartão Time Out Market em um dos caixas do local e, somente depois, você entra na fila do restaurante desejado para fazer seu pedido.

📍 Time Out Market New York: 55 Walter St, Brooklyn

⏱ Horário de funcionamento: diariamente, das 8h às 23h (às sextas, sábados e domingos, até meia-noite)

 

  • Brooklyn Flea

Feirinha de antiguidades e comidinhas no Brooklyn, todo domingo (Foto: Passaporte Digital)

 

De abril a novembro, todo domingo funciona a Brooklyn Flea, uma feirinha gastronômica com antiguidades e brechó nas ruas do DUMBO.

Ela funciona embaixo da outra ponte, a Manhattan Bridge, a 10 minutos do Brooklyn Bridge Park.

📍 Brooklyn Flea: Manhattan Bridge Archway Plaza – 80 Pearl St., Brooklyn

⏱ Horário de funcionamento: todo domingo, das 10h às 17h (de abril a outubro). Aberto também em dias de chuva.

 

  • Walter St.

A esquina das ruas Walter St e Washington St é um lugar incrível para tirar uma foto de fazer inveja aos seus amigos, com a Manhattan Bridge ao fundo. Fica na região de Dumbo, no Brooklyn. 

Esquina da Walter St com a Washington St: lugar ideal para boas fotos no Brooklyn (Foto: Passaporte Digital)

 

8- Quanto tempo devo reservar no meu roteiro para atravessar a Ponte do Brooklyn?

Depende. Se você for só atravessar e pronto, uma hora e meia é suficiente. Mas o meu conselho é reservar o dia inteiro, para poder curtir a região do Dumbo, no Brooklyn, que eu achei sensacional!

 

9- Como retornar do Brooklyn para Manhattan de metrô?

A volta sempre é mais cansativa. Mas tem duas opções de estação de metrô no Brooklyn para voltar a Manhattan.

No Brooklyn, para voltar a Manhttan: estação High Street (linhas A e C) ou estação Court Street (linhas N e R)

Também tem opção de balsa – East River Ferry, mas eu não testei para saber como é.

Time Out Brooklyn

Na região de Dumbo, no Brooklyn, um dos destaques é o Time Out Market (Foto: Passaporte Digital)

 

10- Quer saber um pouco mais sobre a famosa Ponte do Brooklyn?

Uma das pontes suspensas mais famosas do mundo, a ponte do Brooklyn demorou 14 anos para ser construída, além de ser a primeira deste tipo nos Estados Unidos.

Durante um tempo, a Brooklyn Bridge foi a única ligação entre Manhattan e Brooklyn. Mas a construção da ponte tem um lado triste também.

A ponte foi projetada por John August Roebling, que morreu em um acidente durante a construção. Após a morte dele, foi o filho Washington Roebling, que assumiu a obra. O mais curioso é que ele também sofreu um acidente, mas continuou coordenando a construção da ponte através de seu apartamento com um telescópio, ao lado da esposa, Emily Warren Roebling. 

Durante a construção da Brooklyn Bridge outras 27 pessoas morreram.

Na inauguração, em 24 de maio de 1883, Emily Warren Roebling foi a primeira pessoa a atravessar a ponte, seguida por 1.800 veículos e 150.300 pedestres naquele mesmo dia.

 

11- Vale a pena conhecer a Brooklyn Bridge?

Sim, vale muito a pena não somente atravessar a ponte do Brooklyn, mas também passar o dia em Dumbo, almoçar no Time Out Market e passear pelo Brooklyn Bridge Park. Vá com um calçado confortável e prepare-se para andar bastante e conhecer lugares maravilhosos!

MAIS SOBRE NOVA YORK:

 

Alessandra Oggioni

Alessandra Oggioni

Jornalista, mãe e apaixonada por viagens. Seu passatempo preferido é desenhar roteiros e dar pitacos na viagem dos amigos. Depois de passar por mais de 12 países e mais de 30 cidades pelo mundo, criou o blog Passaporte Digital, para reunir dicas de viagem para os melhores destinos no Brasil e no exterior.


Booking.com
Chelsea Market: passeio gastronômico imperdível em Nova York

Chelsea Market: passeio gastronômico imperdível em Nova York

Quando me falaram do Chelsea Market, em Nova York, eu não imagina algo tão legal. Sério, me surpreendeu muito, positivamente.

Eu estava esperando um mercado de rua como outros, cheio de bancas (fedidas) de peixe, muvuca e muito barulho. Mas não. O Chelsea Market é lindo de ver, sentir e, claro, degustar… 

Ocupando um quarteirão inteiro da área conhecida como Meatpacking District, o prédio de tijolos fica no bairro de Chelsea, em Manhattan.

Tem lojas de tudo quanto é tipo: queijos, vinhos, frutas, pães, geleias, mel, castanhas, nozes, doces, carnes, além de roupas e lembrancinhas e, claro, muitos cafés e restaurantes.

💁 Dica da Alê: você pode (e deve) combinar o passeio ao Chelsea Market quando for visitar o The Vessel e o High Line Park, fica tudo muito próximo.

 

 

O que fazer no Chelsea Market

Nova York é cheia de surpresas. E com o Chelsea Market não foi diferente! Lá tem de tudo! Mas claro que a principal atração é a variedade gastronômica. São mais de 50 restaurantes, dos mais diversos tipos e preços. Tem comida japonesa, marroquina, mexicana, alemã, indiana, chinesa e muito mais.

Um dos restaurantes que eu achei mais interessantes foi o The Lobster Place, de frutos do mar e lagostas, inclusive com os bichos expostos para o cliente escolher. Tudo muito fresco e parecia delicioso (eu já tinha almoçado, então, não consegui comer ali). Tem também combinado de sushis e outros pratos orientais. Estava cheio de gente!

Quem for vegano e preferir uma comida orgânica, tem opção também com o The Green Table. Já quem é fã de comida mexicana, pode experimentar o Los Tacos. Se for pela manhã, aproveite para tomar um delicioso café da manhã no Sarabeth´s.

Dica da Alê: se puder, prefira visitar o Chelsea Market em dias de semana, pois ficam menos cheios.

 

Dicas de restaurantes

chelsea-market-lobster

The Lobster Place, restaurante de frutos do mar no Chelsea Market (Foto: Passaporte Digital)

 

É claro que eu não consegui experimentar tudo o que eu queria no Chelsea Market, mas aqui vão algumas dicas de restaurantes para conhecer dentro do mercado de Nova York.

>>> Café da manhã:

Amy´s Bread Bakery
Sarabeth´s 

>>> Almoço ou Jantar:

The Lobster Place (frutos do mar)
Buon Italia (restaurante italiano)
Berlin Currywurst (culinária alemã)
Friedman´s Lunch (hambúrguer)
Filaga (pizzas e calzones)

>>> Doces, cafés e sobremesas:

L´Arte del Gelato
Fat Witch Bakery
Li-Lac

>>> Lojinhas diferentes:

Ronnybrook Farm Daily (leite, queijos e derivados)
ID Pop Shop (lembrancinhas)
Corkbuzz Wine Studio (vinho)
Fillin Station (orgânicos e produtos eco-friendly)

 

História do Chelsea Market

chelsea market

O Chelsea Market fica no Meatpacking District, em Nova York, fácil de chegar de metrô (Foto: Passaporte Digital)

O Chelsea Market é um dos mercados gastronômicos mais visitados dos Estados Unidos. Localizado no chamado Meatpacking District, tem uma construção é linda. Assim que vi, pensei, nossa parece aquelas fábricas antigas. Depois, ao pesquisa, comprovei que era isso mesmo.

No lugar onde hoje é o mercado gourmet mais famosa de Nova York funcionava a fábrica da Nabisco (aquela marca do famoso biscoito Oreo, que eu adoro, aliás) até 1922.

Depois de ser desativado, o local passou por uma grande reforma, porém sem perder as características arquitetônicas originais, com os famosos tijolinhos e aparência mais rústica. Em 1996, foi reaberto como Chelsea Market, um dos pontos turísticos obrigatórios para quem vai a Nova York e ama gastronomia. 

 

Roteiro combinado com Chelsea Market

high-line

HIgh Line: parque suspenso delicioso em Nova York (Foto: Passaporte Digital)

 

Como disse, o ideal é fazer o passeio ao Chelsea Market casadinho com o The Vessel e o High Line. 

Eu fiz meu roteiro do dia assim:

9h30: The Vessel – LEIA AQUI COMO VISITAR

11h: High Line – VEJA MAIS SOBRE O PARQUE SUSPENSO AQUI

13h: Almoço no Chelsea Market

 

Como chegar ao Chelsea Market

Caso prefira ir direto para o Chelsea Market, da mesma forma, a melhor maneira de chegar é pegar o metrô.

Estação 14th Street/8th Avenue (linhas A, C, E ou L)

 

Endereço do Chelsea Market

📍 Localização: 75 9th Avenue (entre as ruas 15th e 16 St), New York.

O Chelsea Market ocupa um quarteirão inteiro, na área conhecida como Meatpacking District. O mercado é aberto ao público diariamente.

⏰ Horário de funcionamento: de segunda a sábado, das 7h às 02h (da madrugada), e aos domingos, das 8h às 22h

 
 
LEIA OUTRAS MATÉRIAS SOBRE NOVA YORK:

Alessandra Oggioni

Alessandra Oggioni

Jornalista, mãe e apaixonada por viagens. Seu passatempo preferido é desenhar roteiros e dar pitacos na viagem dos amigos. Depois de passar por mais de 12 países e mais de 30 cidades pelo mundo, criou o blog Passaporte Digital, para reunir dicas de viagem para os melhores destinos no Brasil e no exterior.


Booking.com
The Vessel, a nova sensação de Nova York

The Vessel, a nova sensação de Nova York

Se você ainda não ouviu falar no The Vessel, prepare-se para conhecer a nova sensação de Nova York. 

Mas, afinal, o que é esse The Vessel? Vale a pena visitar? Quanto é para entrar? O que fazer por ali?

Calma que vou contar toda a minha experiência no The Vessel aqui no post.

Uns chamam de monumento, outros de escultura, outros de obra de arte! Na verdade, não dá para descrever ao certo o The Vessel, mas é uma espécie de observatório em uma estrutura panorâmica interativa. Isso porque, diferente de outros observatórios em prédios, nele você literalmente tem que suar a camisa para chegar ao topo!

Ao todo, 154 lances de escadas interconectados (em um total de 2.500 degraus) para chegar ao ponto mais alto da “escultura”.

Inaugurado em março de 2019, o The Vessel tem uma estrutura “vazada” em bronze e aço que lembra uma colmeia, com altura de 45 metros!

The vessel

Estrutura do The Vessel é feita de aço e lembra uma colmeia (Foto: Passaporte Digital)

Assinada pelo designer Thomas Heatherwick, a escultura fica em uma região pouco frequentada de Nova York (ou pelo menos era pouco movimentada até pouco tempo atrás), a região de Hudson Yards.

O entorno do The Vessel está sendo todo revitalizado (você certamente vai ouvir um barulho quase enlouquecedor de britadeiras). O bairro já ganhou shopping de luxo (do ladinho do The Vessel) e outros prédios comerciais e residenciais.

 

Como é o The Vessel

Apesar dos 2.500 degraus e 154 lances de escada, não é tão difícil subir ao The Vessel. Você escolhe um lado, respira fundo e vai! rs…

Mas para quem não tem tanto fôlego, há a opção de subir em um elevador panorâmico, que também é utilizado para acesso de pessoas com dificuldades de locomoção. Mas, para mim, a graça está em justamente ir subindo, entendendo e participando da “obra” e observando a paisagem por diferentes ângulos.

Ao chegar ao topo, você verá, de um lado, o novo shopping de luxo de Hudson Yards, com mais de 100 lojas de marcas famosas, e prédios dos mais variados tipos; e, do outro, a vista mais bonita para o rio Hudson. Rende lindas fotos!

No térreo do The Vessel há uma espécie de “marco zero”, que serve para tirar fotos de baixo para cima com a função timer do celular. Tem até uma luz azul que dá um efeito especial no registro.

the-vessel-hudson-yards

Estrutura do The Vessel vista de baixo: atração é destaque no bairro de Hudson Yards (Foto: Passaporte Digital)

 

Como chegar ao The Vessel

De metrô, a melhor estação para descer é a W 34th St, na linha 7. O The Vessel fica bem próximo da saída.

 

The Vessel Tickets

A entrada para o The Vessel é gratuita! Isso mesmo, não se paga nada para ver uma das atrações mais bacanas de Nova York!

Porém, os visitantes precisam retirar os tickets de duas formas:

the-vessel-nova-york

Minha dica para visitar o The Vessel: chegue antes das 10h da manhã para evitar filas (Foto: Passaporte Digital)

  • No dia da visita

A liberação dos tickets para visita ao The Vessel no mesmo dia acontece a partir das 9h30, ao lado da atração.

💁 Dica da Alê: Eu recomendo chegar até um pouco antes desse horário, para evitar filas maiores. No dia que eu fui, cheguei às 10h e peguei a entrada para às 10h30, mas na hora que sai de lá, a fila já estava bem grande.

  • Ticket Agendado

Outra opção é agendar a visita antecipadamente pela internet, com uma semana de antecedência. 

Também há uma outra modalidade de reserva de entrada, com até seis meses de antecedência, mas aí é cobrada uma taxa de US$ 10 por pessoa.

The vessel

Vista para o rio Hudson a partir do The Vessel: passeio gratuito e imperdível em Nova York (Foto: Passaporte Digital)

 

Horário de funcionamento do The Vessel

A atração fica aberta em qualquer clima, mesmo em dias de chuva ou neve. Consulte as condições de temperatura para se proteger adequadamente, principalmente do vento constante do Hudson River.

De segunda a sábado, das 10h às 21h
Domingos, das 11h às 19h


Alessandra Oggioni

Alessandra Oggioni

Jornalista, mãe e apaixonada por viagens. Seu passatempo preferido é desenhar roteiros e dar pitacos na viagem dos amigos. Depois de passar por mais de 12 países e mais de 30 cidades pelo mundo, criou o blog Passaporte Digital, para reunir dicas de viagem para os melhores destinos no Brasil e no exterior.


Booking.com