Escolha uma Página
3 passeios que não podem faltar na sua viagem a Machu Picchu

3 passeios que não podem faltar na sua viagem a Machu Picchu

Os mistérios da civilização inca atraem visitantes de todo o mundo a Machu Picchu, no Peru. São muitas as atrações na região, mas três passeios definitivamente não podem faltar no roteiro da sua viagem a Machu Picchu (veja abaixo quais são eles).

Conhecida como a “Cidade Perdida dos Incas”, Machu Picchu está localizada em meio a montanhas, com um importante sítio arqueológico com mais de 500 anos de história. Até hoje ninguém sabe ao certo o porquê e como foram erguidas as construções – casas e templos formados por rochas.

VEJA TAMBÉM: Melhor época para ir a Machu Picchu

Percorrer toda a extensão das ruínas pode levar praticamente o dia todo. Vale lembrar que o sobe-e-desce de degraus é um pouco cansativo, especialmente para quem não está com o melhor preparo físico. Cansa, mas vale a pena.

machu picchu_peru

Sítio arqueológico de Machu Picchu tem mais de 500 anos de história (foto: Machu Picchu Brasil)

Veja as nossas sugestões de passeio:

1. Trilha Inca e Trilha Salkantay
Existem muitas formas de chegar até a Cidade dos Incas. Uma das mais procuradas pelos viajantes é a Trilha Inca, que também tem uma versão menor, de dois dias, chamada de Trilha Inca Curta. “Para percorrer o caminho, é necessário obter uma autorização especial do governo peruano. Uma trilha alternativa, também considerada um dos trekkings mais bonitos do mundo, é a trilha Salkantay”, explica Ricardo Cavalcante, sócio da Machu Picchu Brasil, agência especializada no destino.

machu picchu_Salkantay

A trilha Salkantay é considerada um dos trekkings mais bonitos do mundo (foto: Funkz/Flickr)

2. Porta do Sol
É a entrada da cidade inca, com vista panorâmica das ruínas e do Templo das Três Janelas. Para quem sobe a montanha de ônibus, a caminhada de Machu Picchu até a Porta do Sol leva cerca de duas horas. Pela Trilha Inca são três dias de caminhada.

LEIA MAIS: Não quer se cansar? Machu Picchu com conforto e mordomia

3. Wayna Picchu
Uma das mais famosas montanhas do parque Machu Picchu, Wayna Picchu oferece vista panorâmica da cidade. “O visual compensa o esforço da subida, que dura em torno de duas horas”, comenta Cavalcante.

Melhor época para ir a Machu Picchu

Melhor época para ir a Machu Picchu

Trilhas, paisagens exóticas, muita história e passeios culturais. Estes itens certamente irão estar na sua viagem a Machu Picchu, no Peru. Para aproveitar mais a sua estadia na “Cidade Perdida dos Incas”, saiba qual é a melhor época para ir a Machu Picchu.

Se quiser curtir ao máximo, faça a viagem entre abril e novembro, quando o tempo é seco, com pouca probabilidade de chuva. No entanto, os meses de julho a setembro são os mais cheios de turistas. Veja outras dicas:

VEJA TAMBÉM: 3 passeios essenciais em Machu Picchu

>>> QUANTO TEMPO FICAR? o ideal é ficar pelo menos 4 noites em Cusco e 1 noite em Águas Calientes (base para Machu Picchu).

>>> COMO EVITAR O MAL-ESTAR DA ALTITUDE? Machu Picchu fica a mais de 2 mil metros do nível do mar. Em grandes altitudes é comum sentir alguma tontura, enjôo, falta de ar ou dor de cabeça. Isso pode ser minimizado ou evitado se você dormir na véspera em Águas Calientes, ou se estiver vindo de alguns dias em cidades mais altas, como Cusco. É preciso de tempo para se acostumar.

>>> QUANTO LEVAR PARA ALIMENTAÇÃO? Depende muito do estilo de viagem de cada um, mas o custo médio por dia com alimentação gira em torno de R$ 100, segundo indica Willian Cavalcante, sócio da Machu Picchu Brasil, agência de viagem especializada no Peru.

 

Peru: Machu Picchu de trem, com conforto e mordomia

Quem disse que para conhecer as ruínas de Machu Picchu, no Peru, é preciso percorrer um longo caminho sem nenhum conforto? No trem de luxo Hiram Bingham, da Orient Express, é bem diferente. Nele, os passageiros são recepcionados com bebida e danças típicas, com vagões com poltronas aconchegantes e música a bordo.

machu picchu

Dá para conhecer Machu Picchu com conforto e mordomias

Partindo de Cuzco, a locomotiva típica dos anos 1920 faz um percurso pelo vale do Rio Urubamba, com vista para os pequenos vilarejos aos pés dos Andes. O desembarque é feito em Águas Calientes e a subida de 2300 metros até o topo da Cidade Inca acontece a bordo de um micro-ônibus.

Leia também:
Buenos Aires – passeio gratuito pela Casa Rosada
Buenos Aires – um tour em Puerto Madero

machu picchu

Quem tiver grana sobrando pode embarcar no trem de luxo da Orient Express

A viagem inclui aperitivos, brunch e jantar gourmet, com direito a taças de cristal e talheres de prata. Há dois restaurantes a bordo, além de bar e vagão para observação com deck aberto. A companhia também oferece guia turístico para acompanhar os passageiros durante o caminho.

machu picchu

Viagem inclui aperitivos, brunch e jantar gourmet

Mas quem quiser desfrutar de todo esse conforto vai ter de desembolsar uma graninha. A viagem custa a partir de US$ 428 por trecho. Reservas pelo site da Orient Express.

Veja mais no vídeo abaixo:
http://youtu.be/nvrJHn4jR7w