Escolha uma Página
Cidade de Santos: 10 atrações além das praias

Cidade de Santos: 10 atrações além das praias

A cidade de Santos, no litoral sul de São Paulo, é do tipo que reúne atrações para todos os gostos. Além das praias, há muito o que fazer por lá, como por exemplo aquário, museus, orquidário, passeios históricos e até o maior jardim de orla do mundo, com 7 km de extensão.

Eu estou sempre por aqui, já que venho com muita frequência visitar minha avó, e trouxe muitas dicas legais de atrações para ir com crianças, em casal ou até mesmo sozinho.

Movimentada, cultural e linda, eu sou uma apaixonada pela cidade de Santos, conhecida como a capital dos cruzeiros, por abrigar o Terminal de Passageiros Giusfredo Santini, o mais movimentado do país, e o maior Porto da América Latina.

Pertinho da capital paulista, a 72 quilômetros, também é considerado o 5º melhor lugar entre os municípios brasileiros em qualidade de vida pelo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).

Então, não perca tempo! Confira as atrações que você não pode deixar de visitar quando passar pela cidade de Santos. Espero que goste!

  • Centro Histórico da cidade de Santos

Eu começaria o passeio pela cidade de Santos pelo Centro Histórico, que é um charme. Com suas ruas estreitas e calçamento de pedra, você se sente na época de ouro do café.

Entre as atrações legais, destaco o famoso bondinho, que imita o transporte do século XX e virou a marca da cidade de Santos.

O bonde turístico de Santos parte da Estação do Valongo, um prédio de 1867 onde funcionou a primeira ferrovia paulista. De lá, os bondes elétricos originais dos séculos 19 e 20 percorrem 5km no Centro Histórico em cerca de 40 minutos, em roteiro monitorado por guia de turismo.

Bondinho cidade de Santos

Dezenas de pontos turísticos estão localizados no Centro Histórico, entre eles o Palácio José Bonifácio, onde funciona a Prefeitura, a Bolsa Oficial do Café, o Santuário, a Estação Ferroviária do Valongo e a Catedral.

Bondinho Turístico de Santos
Onde fica: Largo Marquês de Monte Alegre, nº2, Centro Histórico
Horário de Funcionamento: de terça a sexta, e aos domingos e feriados, das 11h às 17h (saídas a cada hora), e aos sábados, das 10h30 às 17h (saídas a cada meia hora).
Ingresso: R$ 7

  • Museu Pelé

Se estiver pelo Centro Histórico, outra dica é conferir o Museu do Pélé e o Memorial de Conquista, localizados na Vila Belmiro. Apesar de eu não gostar muito de futebol, vale a pena se estiver com crianças ou for fã do esporte.

O próprio casarão que abriga o Museu Pelé é histórico, funcionou como sede da Prefeitura de Santos e da Câmara Municipal até 1939.

Lá dentro, crianças e adultos se divertem com o pênalti virtual, que mensura a velocidade da bola chutada pelos visitantes, e podem conferir relíquias do acervo pessoal do ex-jogador, como a camisa da seleção brasileira usada por Pelé na Copa.

Onde fica: Largo Marquês de Monte Alegre, nº2, Centro Histórico
Horário de Funcionamento: de terça a domingo, das 10h às 18h
Ingresso: R$ 10

 

  • Monte Serrat

Na “cidade”, como os santistas costumam chamar, você encontra um bondinho (ou funicular) que sobe os 147 metros da íngreme encosta do Monte Serrat.

Lá em cima você poderá conhecer o Santuário da Nossa Senhora do Monte Serrat, padroeira da cidade de Santos, e ficar deslumbrado com uma visão de 360° de toda a região litorânia. É de tirar o fôlego!

Bondinho Monte Serrat Cidade de Santos

Onde fica: Praça Correia de Mello nº 33, Centro Histórico
Horário de Funcionamento: diariamente, das 8h às 20h (com saídas a cada 30 minutos durante a semana e 20 minutos nos fins de semana)
Ingresso: R$ 42 (crianças até 8 anos não pagam) e meia entrada para maiores de 65 anos

 

  • Museu do Café

Museu do Café cidade de Santos

Não é só porque eu sou apaixonada por café, mas o local é uma experiência de admiração que retrata o produto brasileiro de exportação do século XIX, juntamente com seus sabores e cultivo.

Inaugurado em 1998, no Museu do Café você ainda pode experimentar cafés com aromas inusitados.

Onde fica: Rua XV de Novembro, nº 95, Centro Histórico
Horário de Funcionamento: de terça a sábado, das 9h às 17h (na temporada de verão, também às segundas-feiras); domingos, das 10h às 17h.
Ingresso: R$ 10

  • Museu de Pesca

Fósil de uma Balei no Museu da Pesca na Cidade de Santos

Reaberto em 1998, o museu possui uma grande ossada de baleia, com 23 metros e sete toneladas, uma visão inesquecível para as crianças.

No Museu da Pesca, também estão expostas várias espécies de peixes, aves, mamíferos marinhos, conchas, maquetes de embarcações e exemplares de tubarões.

Onde fica: Avenida Bartolomeu de Gusmão, nº 192, Ponta da Praia
Horário de Funcionamento: de quarta a domingo, das 10h às 18h
Ingresso: R$ 5

 

  • Teatro Coliseu

Teatro Culiseu na cidade de Santos

Construído em 1924, o Teatro Coliseu foi reaberto em 2006 e hoje é considerado o maior da cidade de Santos, com capacidade para 1.000 espectadores.

A acústica é excelente e a decoração é altamente requintada. Vale a pena dar uma conferida na programação do teatro e aproveitar a visita para assistir a um belo espetáculo.

Onde fica: Rua Amador Bueno, nº 237, Centro Histórico
Horário de Funcionamento: somente em dia de evento
Ingresso: consultar programação

  • Teatro Guarany

Teatro Guarany cidade de Santos

 

Se você gosta de história e arquitetura, vale a pena dar uma passada pelo Teatro Guarany.

Inaugurado em 1882 e destruído por um incêndio em 1981, o Teatro Guarany foi reconstruído e entregue em 2008, todo remodelado e modernizado, preservando no exterior o estilo neoclássico original e as pinturas de Paulo Von Poser.

Funcionam no local a Escola de Artes Cênicas Wilson Geraldo e a Sala de Espetáculos Carlos Alberto Soffredini, uma homenagem ao ator e ao dramaturgo, que são santistas e diretores de teatro.

Onde fica: Praça dos Andradas, s/nº, Centro Histórico
Horário de Funcionamento: somente em dia de evento
Ingresso: consultar programação

 

  • Orquidário

Orquidário da cidade de Santos

Neste parque zoobotânico você vai encontrar um pedacinho da Mata Atlântica. No Orquidário, é possível admirar mais de 3.000 espécies, um passeio que encanta crianças e adultos.

Divirta-se também com os animais soltos de 70 espécies diferentes e não deixe de passear pelo Jardim Sensorial e pelo Viveiro, que oferece visitação interna.

Onde fica: Praça Washington, s/nº, bairro José Menino
Horário de Funcionamento: de terça a domingo, das 9h às 18h (bilheteria até às 17h)
Ingresso: R$ 8

  • Aquário de Santos

Aquário de Santos

No Guinnes World Record desde 1995, o Aquário de Santos é considerado o mais antigo do Brasil, com mais de 2.000m² de área aberta para visitação.

O espaço abriga leões marinhos, tubarões, pinguins, peixes e animais invertebrados. É uma ótima opção de passeio para todas as idades e imperdível para quem estiver com crianças.

Onde fica: Praça Vereador Luiz La Scala, s/nº, Ponta da Praia
Horário de Funcionamento: de terça a sexta, 9h às 18h; sábados, domingos e feriados, das 9h às 20h.
Ingresso: R$ 8 (crianças até 8 anos e idosos a partir de 65 anos não pagam). A venda de ingressos termina meia hora antes do fechamento do parque

  • Sitio Quatinga

Passeio ecológico área continental de Santos

O ecoturismo na cidade de Santos é uma ótima sugestão para quem gosta de trilhas e de admirar a natureza, até porque cerca de 85% de sua área fica na porção continental, em meio a Mata Atlântica.

Entre as opções está a Cachoeira da Quatinga, que fica próxima à rodovia Rio-Santos. Após uma trilha de 40 minutos, você vai ficar maravilhado com as águas cristalinas que correm em alta velocidade sobre as rochas e formam uma bela piscina natural.

Observe que no trecho de trilha existe mata original, com várias espécies de flores e árvores. Com sorte, você pode encontrar espécies de aves locais.

É importante lembrar que esses passeios na área continental devem ser feitos somente com guias turísticos, por ser uma área de preservação. As agências de Ecoturismo da cidade podem ajudar você a conhecer esses lugares incríveis espalhados no nosso litoral paulista.

Espero que você tenha gostado das minhas dicas e possa se divertir muito na cidade de Santos, assim como eu faço desde a infância até hoje.

Se você conhece outros pontos turísticos bacanas por lá ou quer contar como foi sua visita à cidade de Santos, deixe uma mensagem nos comentários!

 

Fonte das imagens: Turismo Santos


Victória Lima

Victória Lima

Fotógrafa, publicitária que ama conhecer lugares novos, se tiver uma bela praia e uma comida boa já me ganha rs, mas uma maratona de séries em casa ou um filme se super heróis não tem como negar. 
Viagens e fotos é a melhor combinação que pode existir.


Booking.com
10 lugares legais em SP

10 lugares legais em SP

É impossível selecionar apenas 10 lugares legais em SP, mas tentei reunir aqui um mix de passeios bacanas para quem quer sentir a atmosfera da maior metrópole do Brasil, na minha opinião, claro! Aliás, se tiver alguma dica que considere essencial, ficarei muito feliz em receber seu comentário!

Com tantas opções culturais, de entretenimento, gastronomia e lazer, o destino é imperdível para estrangeiros, brasileiros de outros estados e até mesmo para os próprios moradores da cidade e arredores que, acredite, ainda não exploraram direito tudo o que a maior capital brasileira tem para oferecer.

Confira alguns dos lugares legais em SP que eu selecionei para você visitar!

Lugares legais em SP

1- Farol Santander

Um dos lugares legais em SP é o Farol Santander, com sua vista incrível da metrópole (Foto: Alexandre Carvalho)

A minha dica inicial é começar a ver a cidade de cima. Do alto do antigo prédio do Banespa, totalmente revitalizado, o Farol Santander foi reaberto no começo de 2018. Localizado ao lado do Mosteiro de São Bento, é excelente para combinar com a sua visita aos pontos turísticos mais famosos do centro de São Paulo, como Catedral da Sé. Além de um mirante com vista panorâmica, abriga exposições permanentes e temporárias. Tem que estar no roteiro de lugares legais de SP, sem dúvida!

Endereço Farol Santander: Rua João Brícola, 24.
Horário Farol Santander: De terça a sábado, das 9h às 20h, domingos e feriados, das 9h às 19h. Fechado às segundas-feiras.
Como chegar: Metrô São Bento (linha Azul).
Preço Farol Santander: R$ 20 (inteira), R$ 10 (meia) e R$ 18 (cliente Santander)

2- Mercadão de São Paulo

Na hora do almoço, vá conhecer o Mercadão de São Paulo (Foto: Passaporte Digital)

Depois de uma vista incrível de São Paulo, é hora de fazer uma boquinha! E o Mercadão de São Paulo é o lugar ideal, com seu famoso e exagerado lanche de mortadela ou com o suculento pastel de bacalhau. Também tem opções de frutas para quem não quer nada pesado! rs… O mezanino tem restaurantes bem gostosos para almoçar. Fica a dica!

Endereço Mercadão de SP: Rua da Cantareira, 306, Centro.
Horário de Funcionamento do Mercadão de SP: De segunda a sábado, das 6h às 18h, domingos e feriados, das 6h às 16h.
Como chegar: Se for de carro, tem estacionamento com zona azul no entorno. Ah, cuidado com os flanelinhas, que exigem “cobrança antecipada” para dar uma “olhada” no carro. Se for de metrô (melhor opção), descer na estação Luz ou São Bento.

VEJA MAIS SOBRE O MERCADÃO E OUTROS PONTOS TURÍSTICOS AQUI.

3- Catavento Cultural

catavento-programacao-infantil-sp

No Catavento Cultural crianças aprendem sobre astronomia e planetas de modo divertido (Foto: Divulgação)

Mesmo quem não tem criança vai amar o Catavento Cultural, um centro de ciência interativo que fica no Brás, bem próximo ao Mercadão. No total, são 250 atrações, entre elas parede de escada de 7 metros de altura, estúdio de TV, simulação de expedições ao oceano, e muitas outras. Segundo os organizadores, o Catavento é recomendado para crianças a partir de 7 anos, mas eu acho que crianças a partir de 4 anos já aproveitam bem o passeio.

Dica de ouro: chegue cedo, pois são distribuídas senhas para participar das oficinas.

Endereço do Catavento Cultural: Avenida Mercúrio, s/n – Pq Dom Pedro II, Brás
Como chegar o Catavento: estação de metrô Pedro II e terminal de ônibus do Parque Dom Pedro II
Horário Museu Catavento: de terça a domingo, das 9h às 17h (bilheteria fecha às 16h)
Preço Catavento: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (estudantes, idosos e deficientes). Grátis às terças-feiras
Estacionamento: R$ 15 até 4 horas (para visitantes do museu). Adicional por hora: R$ 5,00 (capacidade para 200 carros).

4- Japan House São Paulo

A Japan House São Paulo é aquele passeio que você sai inspirado (Foto: Divulgação)

Um prédio de arquitetura moderna na Avenida Paulista abriga tesouros da arte, design e cultura japoneses. Assinada pelo renomado arquiteto Kengo Kuma, o mesmo que projetou o estádio dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, a Japan House foi criada pelo governo do Japão e tem outras duas unidades: em Londres e em Los Angeles. Se você gota de apreciar arte, vale muito a pena conhecer (e não precisa ser um expert no assunto para curtir o passeio).

Endereço Japan House: Avenida Paulista, 52.
Horário Japan House: De terça a sábado, das 10h às 20h, domingos e feriados, das 10h às 18h. Fechado às segundas-feiras.
Como chegar: Metrô Brigadeiro (linha Verde).
Preço Japan House: Entrada gratuita

5- Masp (e outros museus)

Quem estiver na Avenida Paulista, que já uma atração a parte, além da Japan House deve visitar o Masp (Museu de Arte de São Paulo). Se conseguir, vá às terças-feiras porque a entrada é grátis. São Paulo tem mais de 100 museus e centros culturais, por isso é difícil elencar quais estão entre os lugares legais mais tops para conhecer. Se você tiver a pegada de museu, sugiro ainda incluir no seu roteiro a Pinacoteca, o Museu da Imagem e do Som (MIS) e o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB).

Endereço Masp: Avenida Paulista, 52.
Funcionamento: De terça a sábado, das 10h às 20h, domingos e feriados, das 10h às 18h. Fechado às segundas-feiras.
Como chegar: Metrô Brigadeiro (linha Verde).
Entrada Masp: R$ 35 (adulto), R$ 17 (estudante, professor, idoso), grátis para crianças menores de 11 anos. Terça-feira entrada gratuita a todos.

6- Museu do Futebol

Museu_do_Futebol

Museu do Futebol é muito interativo e divertido para crianças e adultos Foto: Luis Blanco)

Outro passeio muito divertido tanto para adultos quanto para crianças é o Museu do Futebol. Instalado no Estádio do Pacaembu, conta com vários recursos tecnológicos e interativos, além de brincadeiras clássicas, como futebol de botão e amarelinha. Tem relíquias da história do esporte, como a camisa que Pelé usou na final da Copa de 1970!

Endereço Museu do Futebol: Praça Charles Miller, sem número – Pacaembu
Funcionamento Museu do Futebol: De terça a domingo, das 9h às 18h (bilheteria até às 17h). Fechado às segundas-feiras. Em dias de jogos, checar os horários de abertura do museu.
Preço Museu do Futebol: R$ 15 (inteira), R$ 7,50 (estudante, idoso), grátis para crianças menores de 6 anos. Terça-feira entrada gratuita a todos.

7- Feira de Artes da Benedito Calixto

Coloquei a praça Benedito Calixto entre os lugares legais em SP porque é um dos espaços mais famosos entre os amantes de decoração, antiguidades, discos de vinil e até móveis. A feira existe desde 1987, é hoje um ponto de referência no calendário turístico e de lazer de São Paulo. Acontece todos os sábados, no bairro de Pinheiros, com mais de 300 expositores.

Endereço: Praça Benedito Calixto, s/nº, Pinheiros
Funcionamento: aos sábados, das 9h às 19h

8- Feira da Liberdade

Feira Liberdade

Além dos artigos orientais, parte gastronômica é destaque na Feira da Liberdade (foto: Priscilla Vilariño/SPTuris)

Ainda no quesito feiras, a da Liberdade é, com certeza, um dos lugares mais legais de São Paulo. Aqui o foco é nos artigos orientais, com luminárias japonesas, bonsais, peixes e todo tipo de objeto. A Feira da Liberdade existe desde 1975 e, desde então, o principal atrativo é a culinária oriental, com barracas que vendem guioza, tempurá, takoyaki, ebiyaki, yakissoba, frango xadrez, yakimeshi, sushi, sashimi e muitas outras delícias. Gente, vai por mim, é sensacional!

Endereço: Praça da Liberdade, s/nº, Liberdade
Como chegar: Metrô Liberdade
Funcionamento: sábados, das 9h às 18h, e domingos, das 9h às 19h

9- Zoológico de São Paulo

São mais de 3.200 animais no Zoológico de São Paulo, o maior da América Latina. reserve um dia inteiro para conhecer tudo com calma. Um dos pontos mais legais do passeio é poder observar animais mais raros, como os orangotangos e os rinocerontes-brancos. Tem também: urso, dromedário, zebra, leão, onça, elefante, girafa, jacaré, além de espécies nativas da Mata Atlântica como bugios, bichos-preguiça, tatu e tucanos. Uma dica: durante a semana costuma ser mais vazio.

Endereço Zoológico de SP: Avenida Miguel Estéfano, 4241 – Saúde – São Paulo – SP
Horário Zoológico de SP: diariamente, das 9h às 17h
Preço Zoológico de São Paulo: R$ 40 (adulto e criança acima de 12 anos), R$ 15 (criança de 6 a 12 anos e idosos) e grátis para crianças até 5 anos
Estacionamento: R$ 20 (em frente a entrada principal)
Exposição Mundo dos Dinossauros: R$ 17 (adulto e criança acima de 12 anos), R$ 22 (criança de 6 a 12 anos), R$ 7 (criança de 4 e 5 anos) e grátis para crianças até 3 anos
Zoo Safári: R$ 22 por pessoa (adulto ou criança a partir de 4 anos). Criança até 3 anos é grátis
Passeio Noturno: R$ 100, por pessoa. Crianças de 5 a 10 anos pagam R$ 70.

10- Parque do Ibirapuera

Outro cartão-postal da cidade, o Parque do Ibirapuera não pode ficar de fora de nenhum roteiro na cidade. Reserve pelo menos uma manhã ou uma tarde para curtir cada cantinho do local. Este oásis verde em meio a tantos prédios tem mais de 100 espécies de aves, jardins projetados por Burle Marx e prédios desenhados por Oscar Niemeyer, além do Mam (Museu de Arte Moderna), a Oca e o Planetário.

Endereço Parque do Ibirapuera: Avenida Pedro Álvares Cabral, s/nº, Vila Mariana. Tel.: (11) 5573-4180.
Horário de Funcionamento Parue Ibirapuera: diariamente, das 5h às 24h.
Entrada: grátis
Como chegar: não há estação de metrô tão próxima. Portanto, o melhor é ir de carro ou de ônibus (consulte a linha de transporte coletivo no site da SPTrans)

CONFIRA MAIS: Onde ficar em São Paulo

 

 


Alessandra Oggioni

Alessandra Oggioni

Jornalista, mãe e apaixonada por viagens. Seu passatempo preferido é desenhar roteiros e dar pitacos na viagem dos amigos. Depois de passar por mais de 12 países e mais de 30 cidades pelo mundo, criou o blog Passaporte Digital, para reunir dicas de viagem para os melhores destinos no Brasil e no exterior.

Booking.com
Lençóis Maranhenses: quando ir e o que fazer no paraíso de dunas e lagoas

Lençóis Maranhenses: quando ir e o que fazer no paraíso de dunas e lagoas

Quem já viu pelo menos uma foto de Lençóis Maranhenses certamente vai incluir o destino no topo da lista de lugares para viajar. É realmente sensacional!

Os Lençóis Maranhenses são um dos principais destinos turísticos do Maranhão. Um dos mais famosos atrativos é o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, com suas dunas que chegam a 40 metros de altura formadas pela força dos ventos emolduradas pelas lagoas de água doce e cristalina.

O parque é uma unidade de conservação nacional composto por uma área de 155 mil hectares, às margens do Rio Preguiças, distribuídos pelas cidades de Barreirinhas, Primeira Cruz, Humberto de Campos e Santo Amaro do Maranhão.

Com essa imensidão, cada lagoa oferece uma paisagem diferente, um formato diferente, cor da água diferente. Geralmente, todas têm temperatura bem agradável e são ótimas para banho!

Para aproveitar melhor o paraíso de Lençóis Maranhenses é preciso saber quando ir e o que fazer por lá. Por isso, vamos às dicas.

Lencois Maranhenses

Pôr do sol no Rio Preguiças, em Barreirinhas: paisagem maravilhosa (Foto: Fred Schinke)

Lençóis Maranhenses: como chegar

Um dos locais com melhor infraestrutura turística para aproveitar os Lençóis Maranhenses é a cidade de Barreirinhas, a 260 km de São Luís. Em estrada de asfalto, a viagem dura, em média, 4 horas.

Você pode alugar um carro (prefira um 4x4 para circular depois para os passeios), ir de táxi, transfer de van (que pode ser contratado no aeroporto) ou de ônibus intermunicipal, que parte diariamente do Terminal Rodoviário da capital maranhense até Barreirinhas.

Uma das empresas que oferecem o serviço é a Cisne Branco Turismo. O trajeto de São Luís a Barreirinhas custa a partir de R$ 51. Os horários do trajeto de ida para Barreirinhas são às 6h, 8h45, 14h e 19h30. Os ônibus de volta partem às 6h, 9h, 14h e 18h45. O custo da passagem é de R$ 51.

Se tiver uma grana a mais, pode até ir de táxi aéreo, em um trajeto de 40 minutos.

Lencois Maranhenses

Melhor época para visita Lençóis Maranhenses é de junho a setembro (Foto: Alessandro Maltesta)

Lençóis Maranhenses: quando ir

Se quiser curtir a paisagem paradisíaca das dunas com e lagoas cheias dos Lençóis Maranhenses, a melhor escolha é fazer a viagem entre os meses de junho e setembro.

Neste período, as temperaturas podem chegar a até 37°C.

Entre janeiro e maio é o período de chuvas, época em que as lagoas estão se abastecendo de águas, portanto, a paisagem não fica tão bonita quanto na alta temporada.

No entanto, se sua viagem está marcada durante a seca, não fique triste. Ainda há alguns pontos do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses com maior chance de ver água, especialmente na cidade de Santo Amaro, onde as lagoas são mais profundas e resistentes à estiagem.

LEIA TAMBÉM: 7 DICAS ESSENCIAIS PARA QUEM VISITA O JALAPÃO

 

Lençóis Maranhenses: onde ficar

Como disse, Barreirinhas é a localidade da região mais estruturada para receber turistas, com boa variedade de hotéis e pousadas, restaurantes e agências de turismo. Sem contar que é a cidade mais fácil de chegar.

Outras opções para se hospedar seriam o povoado de Atins e a cidade de Santo Amaro, que é mais pacata, porém oferece acesso fácil às lagoas.

Lembrando que para ir aos principais passeios será necessário um carro com tração. Agências de turismo locais organizam o trajeto e levam os visitantes.

 

Lençóis Maranhenses: o que fazer

Para entrar no Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, o visitante não precisa pagar qualquer taxa de ingresso. O acesso é feito por veículos conhecidos como ‘jardineiras’, caminhonetes adaptadas para levar passageiros na carroceria.

O passeio custa em torno de R$ 50 por pessoa, em grupos fechados (de até 10 pessoas).

1- Visita às lagoas

Lencois Maranhenses

Lagoa Bonita, em Barreirinhas, é passeio obrigatório (Foto: Fred Schinke)

É claro que a visita às lagoas é o principal atrativo da viagem aos Lençóis Maranhenses. Mas são inúmeras as opções. Portanto, a quantidade de visitas vai depender muito do tempo que ficar no destino.

Minha recomendação é em dividir as lagoas por cidade. Por exemplo, em Barreirinhas, não deixe de visitar a Lagoa Bonita e a Lagoa Azul. Já em Santo Amaro, vá à Lagoa da Betânia, Lagoa das Emendadas e Lagoa da Andorinha. Em Atins, não perca a Lagoa Tropical e a Lagoa da Lorena.

Se preferir, consulte uma agência de turismo local para ver quais lagoas têm mais a ver com o seu perfil de viagem 😉

O preço dos passeios variam de R$ 60 e R$ 120, conforme o roteiro e o tempo de duração. Tem tour de meio dia ou dia inteiro para diversas lagoas dos Lençóis Maranhenses.

2- Passeio de lancha pelo Rio Preguiças

Lencois Maranhenses

Passeio pelo rio Preguiças é ótima opção, mesmo em baixa temporada (Foto: João Paulo Sotero)

Os passeios de ‘voadeira’, como são conhecidas as pequenas lanchas com capacidade para até 10 pessoas, custam em torno R$ 80 por passageiro. Durante a viagem, a lancha pode atracar em alguns dos bancos de areia formados no meio do rio Preguiças.

3- Caminhada no Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses

As caminhadas pelo Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses são feitas com guias e agências credenciados. Mesmo quando as lagoas mais famosas no parque estão secas, existem outras paisagens lindas de deserto com “focos” de oásis durante o percurso.

4- Passeio de boia pelo Rio Formiga

Lencois Maranhenses

Já pensou que delícia descer de boia pelo Rio Formiga (Foto: Rosanetur)

O Rio Formiga oferece uma ótima opção para se ter contato com a natureza, através de um passeio muito gostoso de descida de boia por suas águas. O bom é que este passeio pode ser feito também na baixa temporada, exceto em dias chuvosos.

5- Passeio pela orla de Barreirinhas

É bem gostoso caminhar pela Avenida Beira Rio, em Barreirinhas, com vários barzinhos e restaurantes, para todos os gostos e bolsos. Não deixe de provar o camarão no abacaxi e degustar uma caipirinha de caju!

6- Curta a praia de Atins

Lencois Maranhenses

Travessia entre Barreirinhas e o povoado de Atins (Foto: Fred Schinke)

Atins tem uma localização privilegiada para aproveitar Lençóis Maranhenses, pois fica entre o início das dunas e lagoas do parque, contornada pelo oceano de um lado e pela Foz do Rio Preguiças.

Se quiser curtir uma praia, aqui é o lugar!

Se preferir dormir pela região, há opções de hotéis pousadas e restaurantes no próprio vilarejo. A maneira mais rápida de ir de Barreirinhas para Atins é de lancha, saindo do porto de Barreirinhas.

LEIA TAMBÉM: Acre: passeio de balão pela Amazônia

7- Lagoa do Cassó

Esta lagoa fica no município Primeira Cruz, a … quilômetros de Barreirinhas. De águas cristalinas, a lagoa é ideal para atividades esportivas como windsurfe, caiaque e stand up.

8- Sobrevoo pelos Lençóis Maranhenses

Se você quiser ver essas paisagens paradisíacas de Lençóis Maranhenses de cima, a dica é investir em uma voo panorâmico pela região. O custo do passeio gira em torno de R$ 400 por pessoa, mas deve ser incrível né?

lencois maranhenses

A 250 quilômetros de São Luís, Lençóis Maranhenses ficam ainda mais bonitos de junho a setembro (Foto: EBC)

Lençóis Maranhenses: quanto tempo ficar

Realmente, são muitos os passeios pelos Lençóis Maranhenses. Para aproveitar tudo com calma, sugiro ficar pelo menos uma semana no destino. Se puder ficar mais, melhor ainda!

 

Lençóis Maranhenses: últimas dicas e recomendações

– Use sempre protetor solar;
– Leve repelente;
– Beba bastante água nos passeios, para hidratar o corpo durante a caminhada pelas dunas (principalmente);
– Leve bebidas e comidas para os passeios (nem sempre tem lugar para comprar);
– Leve sempre uma sacolinha para colocar seu lixo e levá-lo para o cesto mais próximo;
– Não é permitido entrar no Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses com bebida alcoólica;
– Não entre no Rio Preguiças sem a certeza de que a área é segura para tomar banho;
– Leve uma quantia em dinheiro, pois não há caixas eletrônicos de todos os bancos;
– Não é recomendado fazer passeios às dunas por conta própria. Contrate somente guias autorizados.

 
 
 

Alessandra Oggioni

Alessandra Oggioni

Jornalista, mãe e apaixonada por viagens. Seu passatempo preferido é desenhar roteiros e dar pitacos na viagem dos amigos. Depois de passar por mais de 12 países e mais de 30 cidades pelo mundo, criou o blog Passaporte Digital, para reunir dicas de viagem para os melhores destinos no Brasil e no exterior.


Booking.com
Water Park Caldas Novas: diversão para todas as idades

Water Park Caldas Novas: diversão para todas as idades

O Water Park Caldas Novas foi uma das agradáveis surpresas na viagem ao paraíso das águas quentes. O parque aquático é ótimo para crianças de todas as idades, pois tem atrações até mesmo para os menores. Eu estava com quatro crianças, com idades entre 2 e 8 anos, e todas se divertiram bastante, tanto no rio lento quanto nos toboáguas e na piscina de ondas.

No caso das crianças menores, a dica é ficar na área infantil. Ali, há uma piscina beeem rasinha que tem até miniescorregadores para bebês, uma delícia, pois nem precisa colocar boia neles.

LEIA TAMBÉM: Caldas Novas de carro

Ao lado desta piscina, tem uma outra para crianças um pouquinho maiores. Minha filha de 4 anos adorou os quatro toboáguas “radicais” para a idade dela. Outra atração muito legal desta parte do parque é um balde gigante que fica no alto e vai enchendo de água até se virar sobre as pessoas, molhando todos que estão embaixo.

water-park-caldas-novas-piscinainfantil

Área infantil do Water Park Caldas Novas

Para os mais grandinhos, e até mesmo os adultos, tem toboáguas maiores, embora nenhum deles seja tão radical. Há também uma espécie de rampa que dá para escorregar com boia ou sem (este só pode ir criança acima de 5 anos).

Para mim, um dos lugares que mais gostei no Water Park Caldas Novas foi o rio lento. Você fica sendo levado por uma leve correnteza. Ótimo para relaxar. Se quiser, pode alugar uma boia gigante (R$ 14) e ficar flutuando por ali.

LEIA TAMBÉM: O que fazer em Caldas Novas

A piscina de ondas também chama muito a atenção. Ela fica calminha na maior parte do tempo, mas de tempos em tempos começam as ondas. É bem divertido. Essa é uma das únicas piscinas que a água não é quente – por isso mesmo achamos ótima para dar um refresco no calor.

Uma dica legal: nas redondezas ficam uns ambulantes vendendo capinhas à prova d´água para celulares. É muito bom, porque você consegue tirar umas fotos bem legais. Paguei R$ 10.

Alimentação e estrutura no Water Park Caldas Novas

water park caldas novas

Water Park Caldas Novas tem atrações para todas as idades (Foto: Divulgação)

Não é permitido levar bebidas de fora. Eu particularmente achei as coisas um pouco caras lá dentro. O crepe custa R$ 10, um x-burguer por R$ 16, cerveja a R$ 7,90, suco de latinha R$ 6,90. Uma das coisas boas é que tem almoço por quilo. Bem simples, mas acho que atende para matar a fome. Ah, tem sorvete também por quilo – esse eu não achei caro ;).

Para quem for passar o dia, tem vestiário com chuveiros que também dá para tomar um banho antes de ir embora.

O Walter Park Caldas Novas pertence ao Grupo Privé. Quem fica hospedado em um dos hotéis da rede pode entrar neste parque sem pagar entrada. Outra facilidade é usar o cartão do hotel para registrar os gastos no parque, assim nem precisa levar dinheiro ou cartão de crédito, você acerta tudo no check-out. Eu fiquei no hotel Privé Boulevard Suites, mas não recomendo. Se quiser, pode ler minha avaliação sobre o hotel no Trip Advisor.

Quem não for hóspede mas quiser passar o dia no Water Park Caldas Novas pode comprar o ingresso a parte. Veja no site aqui.

Preços 

Adulto: R$ 80,00
Acima de 60 anos: R$ 40,00
Criança de 8 a 12 anos: R$ 40,00
Criança até 7 anos acompanhada de pagante tem entrada grátis

Horário de funcionamento: diariamente, das 9h às 18h (fechado às quintas)

Localização: Rua do Balneário – Qd. 10 – Lt. 19 – Bairro Turista. Caldas Novas – Goiás


Alessandra Oggioni

Alessandra Oggioni

Jornalista, mãe e apaixonada por viagens. Seu passatempo preferido é desenhar roteiros e dar pitacos na viagem dos amigos. Depois de passar por mais de 12 países e mais de 30 cidades pelo mundo, criou o blog Passaporte Digital, para reunir dicas de viagem para os melhores destinos no Brasil e no exterior.


Booking.com
7 dicas essenciais para quem visita o Jalapão pela 1ª vez

7 dicas essenciais para quem visita o Jalapão pela 1ª vez

Jalapão, localizado no Estado do Tocantins, região central do Brasil, é o mais recente destino “queridinho” de todo mundo que curte natureza.

E não é só porque apareceu em uma novela da Globo não!

Repleto de dunas alaranjadas, cachoeiras magníficas, riachos de águas transparentes e impressionantes formações rochosas muito bem preservados, o Jalapão atrai visitantes em busca de uma viagem mais contemplativa, daquelas que a gente sai renovada quando volta, sabe?

Se você é do tipo mais aventureiro, também não vão faltar opções. São muitos os pontos turísticos do Jalapão onde é possível fazer rafting, canoagem, trilhas, mergulhos.

VEJA TAMBÉM: Roteiro de Palmas e arredores

O Jalapão, na verdade, é uma região composta por cinco áreas de conservação, incluindo o Parque Estadual do Jalapão, em uma área de 34 mil km², pasme: maior que os estados de Sergipe e Alagoas!

Visitar esse paraíso tem um preço, claro. É preciso percorrer cerca de 350 quilômetros de carro a partir do aeroporto de Palmas, capital do Tocantins. Mas garanto que todo esforço vai valer a pena diante de tanta beleza natural.

Se você nunca esteve lá e quer conhecer o Jalapão pela primeira vez, não deixe de ler nossas dicas essenciais para o turista de primeira viagem.

 

1- Como ir de Palmas para o Jalapão?

jalapao estradas

O trajeto de Palmas até Ponte Alta é todo asfaltado, depois segue em pista de terra (Foto: Lucia Barreiros da Silva)

A cada ano, cresce o número de brasileiros e estrangeiros que se aventuram rumo ao Jalapão. A maioria dos atrativos fica nas cidades de Mateiros (a 340 km de Palmas), Novo Acordo (a 133 km da capital do Tocantins), Ponte Alta do Tocantins e São Félix do Tocantins (distante 280 km).

Como não há aeroportos na região, o único meio de transporte até lá é por estradas mesmo. Para quem chega de outros estados, o ideal é ir de avião até Palmas. De lá, siga viagem até o Jalapão via terrestre, pela estrada TO-030 até Santa Tereza do Tocantins e, depois, pela TO-130 até Ponte Alta.

O trajeto de Palmas até Ponte Alta é todo asfaltado, depois segue em pista de terra. Então, o melhor é alugar um 4×4 para não correr o risco de atolar ou contratar uma companhia de turismo local para fazer o transporte. Para quem vai até Mateiros, o trecho continua pela TO-255.

 

2- Qual a melhor época do ano para visitar o Jalapão?

 

Os atrativos do Jalapão garantem diversão o ano inteiro, seja no período chuvoso ou de estiagem, depende muito do perfil do turista.

No entanto, a estação seca, que vai de maio a setembro, é a mais indicada para curtir as atrações sem medo da chuva e ainda assistir a um pôr do sol incrível.

De outubro a abril, apesar de os dias serem menos quentes, as chuvas acabam atrapalhando um pouco os passeios e deixam também as águas mais escuras.

Evite também os meses de férias, que costumam deixar os preços de hospedagem e passagens mais caros.

 

3- O que fazer no Jalapão?

jalapao cachoeira

Cachoeira da Velha, a maior queda d’água do Parque Estadual do Jalapão (Foto: Helia Vannucchi)

Atração bonita é o que não falta no Jalapão. Aqui, vamos listar algumas que têm que estar no seu roteiro! Confira.

Cachoeira da Velha: maior queda d’água do Parque Estadual do Jalapão, a Cachoeira da Velha tem formato de ferradura, com aproximadamente 100 metros de largura e 15 metros de altura. É imperdível.

Dunas do Jalapão: cartão-postal do Jalapão, o lugar também fica dentro do Parque Estadual e é composto por areias finas e alaranjadas que chegam a 40 metros de altura emolduradas pela Serra do Espírito Santo.

Cachoeira do Formiga: esta nascente de água verde-esmeralda merece a visita. Fica na cidade de Mateiros.

jalapão pedra furada

Experimente ver o lindo pôr do sol do Jalapão na Pedra Furada (Foto: Divulgação)

Pedra Furada: não dá para ir ao Jalapão é não fazer a tradicional foto na Pedra Furada, especialmente no pôr do sol. A subida é tranquila. É só chegar e aproveitar a vista!

Trilha da Serra do Espírito Santo: é uma das grandiosas formações rochosas do Jalapão. Dá para chegar ao topo fazendo uma trilha de uma hora. Se tiver espírito aventureiro, experimente assistir ao nascer do sol no topo da montanha. É espetacular!

Prainha do Rio Novo: se você procura o lugar ideal para relaxar, é só ir até a Prainha do Rio Novo. Localizada bem perto da Cachoeira da Velha, é ótima para mergulho ou para um simples banho de sol.

Fervedouro Bela Vista: com suas águas transparentes, nas quais é impossível afundar, Jalapão tem diversos fervedouros. Um dos mais bonitos é o Bela Vista, que fica em São Félix do Tocantins.

 

4- Os passeios exigem muito esforço físico?

jalapão morro

Trilha no Morro Espírito Santo é um dos únicos passeios que exigem um pouco mais de esforço (Foto: Helia Vannucchi)

Não precisa se preocupar com o preparo físico (se bem que isso sempre ajuda né?). Mas não precisa ser nenhum maratonista ou atleta para curtir as atrações do Jalapão. Os principais pontos turísticos não exigem grandes esforços nem longos percursos a pé.

No geral, os carros chegam até bem próximos aos fervedouros e cachoeiras (falo dos carros 4x4 ok?).

 

5- Onde se hospedar no Jalapão?

Não há hospedagens de luxo ou grandes redes de hotelaria por lá. No Jalapão, o que prevalece são as hospedagens em pousadas bem simples ou até mesmo os famosos campings.

Quem quer ir por conta própria (sem pacote fechado) pode se hospedar em Mateiros ou Ponte Alta do Tocantins e contratar passeios de um dia com operadores de turismo locais.

Geralmente, Mateiros é a cidade mais procurada para se hospedar no Jalapão, localizada a aproximadamente 340 km de Palmas, por ser a mais próxima do Parque Estadual do Jalapão.

Outras cidades para quem procura hospedagem: Novo Acordo e São Félix do Tocantins, a mais próxima dos fervedouros.

 

6- Quanto tempo ficar no Jalapão?

jalapao rafting

Para os mais aventureiros, o Jalapão reserva as Corredeiras do Rio Sono (Foto: Secretaria de Turismo TO)

O ideal é ficar na região do Jalapão por pelo menos cinco dias, para poder apreciar os principais pontos turísticos com calma. Se tiver mais tempo, melhor, assim dá para incluir mais passeios ou passar mais tempo em cada local.

 

7- O que levar na mala?

A região do Jalapão é bem quente, mesmo no inverno. Veja algumas dicas do que colocar na mala:

  • Roupas leves
  • Roupas de banho
  • Tênis ou calçado de trilha
  • Chinelo
  • Sapatilha ou meia para entrar na água
  • Casaco leve (vai que, né?)
  • Capa ou jaqueta impermeável (caso vá na época de chuva)
  • Mochila para os passeios
  • Toalha
  • Protetor solar
  • Repelente
  • Chapéu ou boné
  • Óculos de sol
  • Capa subaquática para celular (ou câmera apropriada)
  • Máscara para mergulho
  • Carregador externo para celular
  • Dinheiro em espécie (muitos lugares não aceitam cartões e caixas eletrônicos não são tão fáceis de encontrar)

 

Tem mais alguma dúvida sobre este ou outros destinos? Deixe sua pergunta aqui nos comentários. Vou ter um enorme prazer em responder!

LEIA MAIS SOBRE OUTROS DESTINOS BRASILEIROS:

Manaus
Belém
Gramado

 

 


Alessandra Oggioni

Alessandra Oggioni

Jornalista, mãe e apaixonada por viagens. Seu passatempo preferido é desenhar roteiros e dar pitacos na viagem dos amigos. Depois de passar por mais de 12 países e mais de 30 cidades pelo mundo, criou o blog Passaporte Digital, para reunir dicas de viagem para os melhores destinos no Brasil e no exterior.


Booking.com
Fazenda Angolana em São Roque: natureza, coelhos e pôneis

Fazenda Angolana em São Roque: natureza, coelhos e pôneis

A Fazenda Angolana, em São Roque (SP), é um daqueles passeios gostosos para se divertir com as crianças, curtir a natureza e conhecer de perto animais como coelhos, pôneis, lhamas, ovelhas e até mini porcos!

Localizada na cidade de São Roque, a 54 quilômetros de São Paulo, é um lugar bastante acessível, com estrada em boas condições e ingresso por apenas R$ 8 por pessoa (criança de até 3 anos não paga).

Fomos passar o dia na Fazenda Angolana. Era um sábado e não estava cheio, não. Chegamos por volta das 10 horas e saímos da fazendinha às 15h30.

Tem muitos animais para conhecer e, sinceramente, achei esse contato com os bichos o mais legal do passeio na Fazenda Angolana.

fazenda angolana coelhos

Dá para alimentar galinhas, patos, gansos e ovelhas, além de ver de pertinho lhamas e mini porcos, que aliás são superdiferentes (eu nunca tinha visto), as crianças amaram. Dá vontade de pegar no colo.

LEIA MAIS: Borboletário Águias da Serra

Você também consegue alimentar as galinhas, patos e pavões comprando um saquinho de milho (R$ 2). As crianças ficam empolgadas em dar de comer para os animais.

Para quem ama cachorrinhos, na Fazenda Angolana tem um espaço só para filhotes de beagles, inclusive tinha umas plaquinhas dizendo que havia animais para adoção.

 

Além do zoológico, a criançada ainda tem outras atrações bacanas para curtir na Fazenda Angolana. A que achei mais interessante foi o passeio de pônei. Dá para montar em um pônei, em uma voltinha curtinha, de uns 5 minutos, ou andar na charrete, uma ótima opção para as crianças menores.

Outra coisa que achei muito legal foi a aldeia dos coelhinhos. É um espaço onde os bichinhos ficam soltos e as crianças podem até pegá-los no colo. Um monitor dá as instruções e auxilia os pequenos.

Para quem não abre mão de respirar um ar puro e relaxar, também dá para fazer trilha, de aproximadamente 600 metros, que termina nas baias onde ficam cavalos e vaquinhas.

Parquinho e brincadeiras

Além do contato com os animais no zoo, a Fazenda Angolana tem outras atrações para divertir a criançada, a maior parte delas paga a parte.

Você pode comprar o ingresso avulso, a R$ 5 cada um, ou adquirir um combo com 5 atividades por R$ 20. Eu achei os valores bem razoáveis. Andar de pônei por R$ 5 está ótimo pela experiência, não acham?

Meus filhos são pequenos, por isso tiveram medo de ir em cima do pônei, mas quiserem andar na charrete. O bom é que o trajeto é curtinho, nem dá tempo de enjoar. O monitor vai puxando o pônei e dá uma voltinha de menos de cinco minutos.

fazenda angolana parquinho

Outras atividades pagas são: cama elástica, piscina de bolinhas, pula-pula e barraca da pescaria. Aliás, quando meus filhos viram a barraca da pesca foram quatro fichas de uma vez só. Escolheram caminhãozinho, bambolê, violinha e flauta.

MAIS PASSEIOS COM CRIANÇAS: Parque Maeda, em Itu

Outro ponto gostoso para passar um tempo e aproveitar o local é o lago de pedalinhos (R$ 20). Só precisa de um pouquinho de força para pedalar, mas a paisagem vale a pena!

Além das atrações pagas, tem também um parquinho com balanços, escorregadores e tanques de areia para as crianças curtirem o dia à vontade.

Descanso para os pais

Enquanto as crianças brincam no parquinho, os pais conseguem descansar um pouco em um espaço com cadeiras superconfortáveis. Vi gente até tirando um cochilo por lá.

Outra coisa que achei muito legal na Fazenda Angolana foi a exposição de artigos indígenas. O próprio índio explicava para que serviam e do que eram feitos os objetos, como colares, cocares, apitos e zarabatanas. Muito legal!

fazenda angolana índio

Ah, para compra de artigos indígenas só aceitam dinheiro, não passam cartão de crédito nem de débito.

No dia que estivemos lá, próximo à Páscoa, ainda teve a visita do coelhinho. Todas as crianças queriam tirar fotos com ele e pedir o ovo de chocolate, claro!

 

Fazenda Angolana: restaurantes com comida da roça

Depois de todas as atrações, nada melhor do que uma boa comida da roça. A Fazenda Angolana tem dois restaurantes: um self-service e um a la carte, além de uma cafeteria/ lanchonete.

No self-service, paga-se um valor único (R$ 44 por pessoa, criança até 5 anos grátis) à vontade. O menu inclui comida caipira, carne de porco, feijoada, saladas e sobremesas como arroz doce, doce de abóbora e frutas. Bebidas a parte.

fazenda angolana restaurante

No restaurante a la carte, tem pratos como carne de coelho (não tenho coragem!) e parmegiana. Um prato serve dois adultos e duas crianças. Uma amiga foi neste a la carte e amou a comida! Na próxima vez, vou experimentar este.

Já na cafeteria, tem bolo, sorvete, bebidas e salgados.

 

Fazenda Angolana: Preço e Horário de Funcionamento

A Fazenda Angolana é uma ótima opção de passeio com crianças perto de São Paulo, a aproximadamente 1h30.

Horário de Funcionamento: Aberto às sextas, sábados, domingos e feriados, das 9 às 17 horas.

Preço: Ingresso R$ 8,00 por pessoa. Entrada somente em dinheiro. Restaurantes e atrações aceitam cartão

Estacionamento: grátis

Endereço: Estrada da Angolana, nº 257 – São Roque – SP. Eles indicam colocar no GPS Rodovia Prefeito Quintino de Lima – Km 5 – São Roque – SP

*Preços e horários atualizados em agosto de 2018. Indica-se consultar o site do local antes da visita.

 

Confira mais fotos da Fazenda Angolana

Gostou da dica? Curta nossa fanpage e compartilhe nossos posts! Obrigada!


Alessandra Oggioni

Alessandra Oggioni

Jornalista, mãe e apaixonada por viagens. Seu passatempo preferido é desenhar roteiros e dar pitacos na viagem dos amigos. Depois de passar por mais de 12 países e mais de 30 cidades pelo mundo, criou o blog Passaporte Digital, para reunir dicas de viagem para os melhores destinos no Brasil e no exterior.


Booking.com